Cotidiano / Economia

Dólar tem leve queda ante real com cautela política

Recuou 0,13 por cento

Diego Alves Publicado em 07/06/2017, às 20h09

None

Recuou 0,13 por cento

O dólar fechou a quarta-feira com leve queda ante o real, com os investidores mantendo a cautela dos últimos dias diante da cena política.Dólar tem leve queda ante real com cautela política

Os fatos da vez foram o julgamento da chapa Dilma Rousseff-Michel Temer no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que passou pelo seu segundo dia, e aprovação da reforma trabalhista na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado na noite passada, mas por um placar apertado.

O dólar recuou 0,13 por cento, a 3,2721 reais na venda, depois de oscilar entre a mínima de 3,2652 reais e a máxima de 3,2872 reais. O dólar futuro tinha leve queda de cerca de 0,20 por cento no final da tarde.

“Ainda que a aprovação (da reforma trabalhista) seja um alento, o placar acirrado, além do cronograma apertado, reitera a percepção de que uma aprovação definitiva não será nada fácil”, informou a corretora Coinvalores em relatório.

A CAE aprovou, por 14 votos a 11 e sem alteração, o texto da reforma trabalhista, que ainda deve precisar passar por outras comissões da Casa antes de seguir ao plenário.

Imerso em uma intensa crise política, o governo do presidente Temer tem mobilizado seus esforços para fazer avançar sua agenda econômica no Congresso Nacional, que inclui a reforma da Previdência, de forma a sinalizar aos agentes econômicos que ainda tem fôlego político.

Investigado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) por crimes, entre outros, de corrupção passiva, Temer também enfrenta outro desafio na Justiça: o julgamento de sua chapa com a ex-presidente Dilma, vencedora na eleição de 2014, e que pode culminar com o seu afastamento do cargo.

O julgamento começou na noite passada e foi retomado nesta quarta-feira, terminando com o relator do processo, ministro Herman Benjamin, votando para manter o conteúdo de depoimentos de delatores da Odebrecht no caso. Os demais ainda precisam votar.

Jornal Midiamax