Cotidiano / Economia

BNDES e BB barram recuperação e usina pode fechar 5 mil empregos em MS

Proposta apresentava quer o leilão de ativos da empresa

Ludyney Moura Publicado em 08/06/2017, às 10h57

None

Proposta apresentava quer o leilão de ativos da empresa

O plano de recuperação judicial apresentado pela Usina São Fernando, localizada em Dourados, foi rejeitado pelos chamados ‘credores de garantia real’, o Banco do Brasil e o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Social), o que pode levar ao fechamento da empresa caso a Justiça não aceita a proposta de leilão. 

Segundo a assessoria da empresa contratada pela usina, de propriedade da família do pecuarista José Carlos Bumlai, a proposta apresentava leilão de toda a unidade industrial UPI (Unidade Produtiva Isolada) com pagamento de 100% dos créditos e R$ 80 milhões à vista para os dois bancos.

Na prática, a empresa venderia, em leilão, parte de seus bens, os principais ativos, para tentar valorizar suas ações, seu valor de mercado, e aumentar o número de eventuais novos compradores interessados, o que aumentaria o preço desses mesmos ativos. O leilão seria marcado em até 60 dias após a aprovação do plano.

O total da dívida é de R$ 1,3 bilhão, e o plano previa uma redução para cerca de R% 950 milhões a partir de um desconto a alguns credores, que, segundo a Consultoria gestora daa usina, concordaram com deságio.

A consultoria contratada pela empresa da família Bumlai ainda destacou que a usina requereu em assembleia que o crédito do Banco do Brasil não fosse considerado. De acordo com o Jornal Valor Econômico, já há mais de um interessado em participar do leilão. Cpmo o Banco do Brasil e o BNDES se limitaram a recusar a proposta, sem apresentar alternativa, sem justificativa para a rejeição, agora resta ao juiz aceitar a realização do leilão ou decretar a falência.

Ainda segundo a empresa, a usina está em pleno funcionamento e caso o plano de recuperação judicial apresentado seja, de fato, frustrado, um eventual fechamento pode encerrar 1200 empregos diretos e outros 4 mil indiretos na cidade de Dourados. 

Jornal Midiamax