Cotidiano / Economia

Após denúncia, Prefeitura quer modernizar programa que dá incentivos fiscais

Prodes precisa ser "modernizado" e possui investimentos parados há anos

Joaquim Padilha Publicado em 05/07/2017, às 12h47

None

Prodes precisa ser “modernizado” e possui investimentos parados há anos

A Prefeitura de Campo Grande anunciou nesta terça-feira (4) a criação de uma comissão que irá estudar alterações no Prodes, o Programa Econômico de Desenvolvimento Social criado nos anos 90, pelo então prefeito André Puccinelli (PMDB). O programa tem como objetivo atrair grandes e pequenos investidores para a Capital.

Por meio do Prodes, empresas interessadas em se instalarem em Campo Grande recebem doações de terrenos e incentivos fiscais, com a redução de tributos. Segundo decreto da Prefeitura, o Programa necessita de “aprimoramento, modernização e informatização”.

A comissão, que será presidida pelo secretário Municipal de Desenvolvimento Econômico e de Ciência e Tecnologia, Luiz Fernando Buainain, será responsável por elaborar um projeto de lei alterando as regras do Prodes, que será enviado à Câmara Municipal da Capital para aprovação.

Pelo decreto, a Prefeitura instituiu um prazo de quinze dias para que membros do Codecon (Conselho Municipal de Desenvolvimento Econômico) e vereadores atuantes na Comissão Permanente de Indústria, Comércio, Agropecuária e Turismo, da Câmara da Capital, colaborem com propostas para alteração das regras do Programa.Após denúncia, Prefeitura quer modernizar programa que dá incentivos fiscais

Após os debates da comissão, elaboração do projeto para modernização do Prodes e aprovação da proposta na Câmara Municipal de Campo Grande, a comissão, criada por decreto do prefeito Marquinhos Trad (PSD), deverá ser extinta.

Incentivos Parados

Recentemente, o Jornal Midiamax tornou públicos alguns investimentos que receberam incentivos fiscais da Prefeitura por meio do Prodes, mas que nunca saíram do papel, como a criação da Cidade dos Ônibus, de um shopping na Moreninhas e de uma fábrica de tablets.

Os empreendimentos poderiam gerar mais de 2 mil empregos diretos. Desde 2011, as informações da Prefeitura acerca do Prodes, administrado  pela Sedesc (Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia), estão desatualizadas.

Jornal Midiamax