Cotidiano / Consumidor

Procura por vacinação continua intensa na rede particular e pública

Tem clínica que aplica 500 doses por dia

Mariane Chianezi Publicado em 08/05/2018, às 10h40 - Atualizado às 12h24

Foto: Marcos Ermínio
Foto: Marcos Ermínio - Foto: Marcos Ermínio

Em busca da imunização contra o vírus Influenza H1N1, campo-grandenses seguem lotando as clínicas particulares e UBSF (Unidade Básica de Saúde Familiar) em Campo Grande. Por dia, há clínicas que vacinam até 500 pessoas por dia e estoque das doses estão sendo renovadas constantemente.

Os preços por dose nas clínicas particulares seguem entre R$ 135 e R$ 160, sendo que qualquer pessoa que queira imunizar-se pode procurar os estabelecimentos. Já na rede pública a vacina é gratuita e voltada apenas para o grupo de risco, público-alvo da campanha de vacinação.

A assessoria de imprensa da Imunitá, clínica de vacinação localizada na Rua Pedro Celestino, 2893, disse ao Jornal Midiamax que o primeiro estoque da clínica contava com 8 mil doses da vacina tetravalente/quadrivalente e se esgotou rapidamente.

“Na semana passada a clínica comprou mais mil doses e se esgotaram em dois dias”, informou assessora por telefonema. Na última sexta-feira (4), mais 1,5 mil doses chegaram à clínica e expectativa é que estoque também se esgote rapidamente devido à grande procura de pacientes.

Em última matéria produzida, a reportagem apurou com a clínica que além da vacina tetravalente, doses da trivalente também eram vendidas pelo valor de R$ 85. No entanto, pacientes apenas encontraram doses da tetravalente para prevenir-se e valor segue o mesmo, R$ 135.

Na Vaccini Clínica de Vacinação, localizada na Rua Dr. Eduardo Machado Metelo, 445, foi informado à reportagem que a demanda ainda está muito grande. A distribuição de senhas é feita no início da manhã, quando o estabelecimento é aberto. Usuários fazem filas para conseguir a senha. Segundo o departamento comercial da clínica, o estoque atualmente está baixo devido à grande procura, mas mais doses seriam providenciadas.

O valor da dose da vacina tetravalente, que previne contra os vírus H1N1 e H3N2, custa R$ 160.

Na rede pública

Nas unidades públicas a procura é grande e o atendimento é controlado por meio de distribuição de senhas.  Para dar conta da demanda, algumas unidades seguem com atendimento ininterrupto, sem fechar para o horário de almoço, como as UBSFs no Nova Bahia, Cophavilla e Coronel Antonino.

Já outras unidades, como a UBSF no bairro Buriti, Guanandi ‘Dona Neta’ e Jockey Club, postos têm aberto às 7h e ás 11h atendimentos são interrompidos, retornando às 13h. As vacinações seguem até às 16h45.

Em uma das unidades, atendente orientou população a chegar cedo para garantir senha logo pela manhã, ou se preferir ir buscar atendimento à tarde, chegue preferencialmente antes das 13h, pois depois deste horário, é dada continuidade às senhas anteriores.

Demanda nas UBSFs

A assessoria de imprensa da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) informou que todas as unidades básicas estão abastecidas com a vacina contra a gripe. “Conforme constatado no Boletim de vacinação, divulgado na sexta-feira (4), até o dia 2 haviam sido vacinadas 68.625 pessoas do grupo de risco”.

O número corresponde a 34,69% da meta estabelecida para Campo Grande. O próximo Boletim de vacinação será divulgado na sexta-feira (11).

Jornal Midiamax