Cotidiano / Consumidor

Postos de combustíveis terão de justificar aumento de preços ao Procon

Órgão notificou 30 estabelecimentos da Capital

Wendy Tonhati Publicado em 12/08/2015, às 16h07

None
img_3181.jpg

Órgão notificou 30 estabelecimentos da Capital

Os 30 postos de combustíveis notificados pelo Procon em Campo Grande, depois de uma alta repentina no preço da gasolina, terão dez dias para apresentar a justificativa do reajuste. A entrega das notificações foi concluída na última terça-feira (11).

Segundo o Procon, a finalidade da fiscalização é saber o motivo do aumento. Para isso vai ser feita uma análise técnica das justificativas apresentadas pelos estabelecimentos para definir se há alguma irregularidade no procedimento.Caso seja constada alguma irregularidade, o Procon pode abrir um procedimento administrativo contra os postos, aplicar multas e suspender a atividade do estabelecimento irregular.

Na quinta-feira (6), o governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), defendeu a investigação sobre o preço dos combustíveis. No começo da semana passada, ele já havia cobrado os empresários do setor a baixar os custos nas bombas. O governador disse ainda que o MPE (Ministério Público Estadual) teria que olhar com atenção os preços do diesel e da gasolina.

Em Mato Grosso do Sul, a gasolina sofreu redução na pauta fiscal e tem alíquota de ICMS igual à cobrada em São Paulo, no entanto, o preço do combustível sofreu alta. No fim de julho, uma ‘atualização’ de preços pegou muitos campo-grandenses de surpresa. Os consumidores, que estavam acostumados a abastecer pagando entre R$ 2,88 e R$ 3,00 pelo litro da gasolina, foram surpreendidos com o litro da gasolina custando em média R$ 3,39.

Jornal Midiamax