Cotidiano

Seca afeta cadeia produtiva e Governo de MS decreta situação de emergência

Governo explica que medida irá amparar produtores do Estado

Gabriel Neves, Renata Volpe Publicado em 03/01/2022, às 09h57

Anúncio foi realizado pelo governador Reinaldo Azambuja
Anúncio foi realizado pelo governador Reinaldo Azambuja - (Foto: Marcos Ermínio/Midiamax)

O Governo de Mato Grosso do Sul irá decretar situação de emergência por conta da estiagem que atingiu os 79 municípios do Estado nas últimas semanas. A medida pretende amparar o setor produtivo, visto que a previsão é de pouca chuva para este primeiro trimestre de 2022.

O decreto, que deverá ser publicado em Diário Oficial na terça-feira (4), foi anunciado pelo governador Reinaldo Azambuja em coletiva realizada nesta segunda-feira (3). De acordo com Azambuja, o decreto ajudará os produtores a acionar seguros e ampliar dívidas.

O governador ainda ressaltou que participará de uma reunião na tarde de hoje com a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, para falar sobre o assunto. Também presente na reunião, o presidente da Famasul, Marcelo Bertoni, comentou que a estiagem e o decreto afetarão toda a cadeira produtora.

“Não somente os produtores de grãos, suínos e aves, mas também os pecuaristas porque não tem pasto por conta da seca”, explicou Bertoni. O presidente da Famasul ainda usou como exemplo a situação vivenciada em Vicentina, onde suinocultores estão utilizando caminhões pipa para conseguir água.

O presidente da Aprosoja (Associação Brasileira dos Produtores de Soja), André Dobachi, explicou que o produtor contou com a chuva registrada em setembro, que causou recorde no período de semeadura e hoje os produtores contam com 100% da safra já plantada e o impacto do atual cenário só será sentido nas próximas semanas.

Jornal Midiamax