Cotidiano

Doses chegam a MS na sexta e SES pode iniciar vacinação de crianças no mesmo dia

Cerca de 19 mil doses deverão chegar ao estado para iniciar imunização das crianças

Mariane Chianezi Publicado em 11/01/2022, às 17h00

None

A vacinação de crianças entre 5 e 11 anos de idade deve começar ainda nesta semana em Mato Grosso do Sul. As doses da Pfizer destinadas para a imunização do público chega no país na quinta-feira (13) e será distribuída aos estados já na sexta-feira (14), onde deve ser iniciada no mesmo dia em MS conforme o horário. 

Segundo disse a médica Rosana Leite, secretária extraordinária de enfrentamento à Covid-19 do Ministério da Saúde, ao Jornal Midiamax, o governo federal irá recolher as doses no Aeroporto de Guarulhos para organizar a distribuição. “Temos a expectativa de mandar já na sexta-feira para os estados. O quantitativo inicial para Mato Grosso do Sul são 19 mil doses”, disse a secretária.

As doses destinadas aos municípios serão definidas pela SES (Secretaria Estadual de Saúde), que também determinará quantas serão mandadas aos moradores indígenas. MS tem 291.800 crianças nesta faixa etária aptas a se vacinarem.

O secretário Geraldo Resende, que testou positivo para a Covid e se recupera com sintomas leves, disse à reportagem que a vacinação começará de imediato assim que as doses chegarem. Caso cheguem na sexta-feira pela manhã, a tarde já haverá vacinação. Caso contrário, no sábado haverá imunização das crianças.

Sem necessidade de receita médica

O Governo de Mato Grosso do Sul autorizou os municípios a vacinar crianças entre 5 a 11 anos de idade, sem a necessidade de receita médica. A exigência é que apenas os pais ou responsáveis - com o documento da criança - compareçam com elas nos postos de vacinação do Sistema Único de Saúde (SUS). 

No dia 27 de dezembro, conforme apurou o Jornal Midiamax, houve uma reunião com representantes dos 79 municípios - em convocação extraordinária - para discutir a questão. Desta forma, o que antes era apenas uma opinião do Secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, foi discutido e referendado na Comissão Intergestores Bipartite (CIB). 

O Ministério da Saúde, no entanto, ainda não liberou a vacinação para crianças. A princípio, houve o reconhecimento de que o imunizante é seguro para esta faixa etária, porém, a autorização da vacinação ocorreu somente por parte da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). 

O assessor militar da SES, Marcello Fraiha, comentou que a vacina a ser utilizada será a da Pfizer, só que com dosagem e composição diferentes da que já é utilizada para os maiores de 12 anos, sendo a distribuição feita pelo Ministério da Saúde. Fraiha ainda ressaltou que o estado possui 291.800 crianças nesta faixa etária aptas a se vacinarem.

Após a reunião, foi deliberada a Resolução Nº 287/CIB/SES, que será publicada em Diário Oficial.

Esquema vacinal

Conforme Resende, no momento da vacinação, o adulto responsável pela criança deverá estar com documentos de identificação da criança, como a carteira de vacinação e a certidão de nascimento ou documento de identidade, por exemplo. 

A Vacina

A autorização concedida pela Anvisa veio após análise técnica criteriosa de dados e estudos clínicos conduzidos por laboratório. Segundo a equipe técnica da Agência, as informações avaliadas indicam que a vacina é segura e eficaz para o público infantil, conforme solicitado pela Pfizer e autorizado pela Anvisa.

Assim, a formulação da vacina para crianças será aplicada em duas doses de 0,2 mL (equivalente a 10 microgramas, com pelo menos 21 dias de intervalo entre as doses. A tampa do frasco da vacina virá na cor laranja, para facilitar a identificação pelas equipes de vacinação e também pelos pais, mães e cuidadores que levarão as crianças para serem vacinadas. Para os maiores de 12 anos, a vacina terá tampa na cor roxa sendo aplicada em doses de 0,3 mL.

Segundo o Ministério da Saúde, a vacina também tem esquema de conservação diferente, já que pode ficar por 10 semanas em temperatura de 2º a 8ºC. A chegada do imunizante aos postos depende do calendário e da logística do Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde (PNI/MS), que coordena a distribuição das vacinas por meio de programas públicos no Brasil.

Jornal Midiamax