Cotidiano

Tradicional no transporte de valores em MS, Cifra fechou aos 49 anos por ‘pressão de gigantes’

Recentemente a Cifra Transporte de Valores, pioneira neste serviços em Mato Grosso do Sul, anunciou que estava encerrando as atividades no transporte de valores após 49 anos de serviço ininterrupto. Problemas com certificadoras fizeram que o serviço fosse interrompido pela empresa, que estava prestar de completar meio século de história em Mato Grosso do Sul. […]

Fábio Oruê Publicado em 22/03/2021, às 14h29 - Atualizado às 18h35

Início da empresa nos anos 1979. (Foto: Arquivo Pessoal)
Início da empresa nos anos 1979. (Foto: Arquivo Pessoal) - Início da empresa nos anos 1979. (Foto: Arquivo Pessoal)

Recentemente a Cifra Transporte de Valores, pioneira neste serviços em Mato Grosso do Sul, anunciou que estava encerrando as atividades no transporte de valores após 49 anos de serviço ininterrupto. Problemas com certificadoras fizeram que o serviço fosse interrompido pela empresa, que estava prestar de completar meio século de história em Mato Grosso do Sul.

Ao Jornal Midiamax, Breno Moura, um dos proprietários da empresa, explicou o motivo de terem encerrado. Segundo ele, as blindagens dos veículos passam por vistoria a cada 10 anos, sendo a última da Cifra acontecido em 2013.

“Nós pensávamos que nossas blindagens estariam aptas até 2023 e fomos surpreendidos pela notícia da Polícia Federal que já tinham sido vencidas. Vai ter uma discussão sobre isso, mas até resolver essa discussão o órgão fiscalizador não autorizou nosso caminhões a rodaram mais e infelizmente eu tive que parar a transportadora”, lamentou.

Por conta disso, Breno esbarrou no segundo problema: a falta de certificadores na região, que dificulta da revalidação dos 10 veículos (sete carros-fortes e três leves) que fazem parte da frota da Cifra. Somente com a revalidação, os veículos são autorizados pela PF (Polícia Federal) a fazer este tipo de serviço.

“As únicas certificadoras que tem atendem as grandes multinacionais, então nós ficamos sem certificadoras para fazer a revalidação e manutenção nos nossos carros-fortes”, disse ele ao Jornal Midiamax. O empresário explicou que essas empresas só atendem as transportadoras de grande porte e se recusam a atender os regionais, como é o caso da Cifra, que atuava em todo o território de MS.

Tradicional no transporte de valores em MS, Cifra fechou aos 49 anos por 'pressão de gigantes'
Funcionários da empresa. (Foto: Arquivo Pessoal)

Sem as revalidações, as transportadoras de valores regionais (a nível nacional), conforme o empresário, se veem obrigadas a serem vendidas para as multinacionais, que dominam o mercado. Conforme Breno, a empresa não será vendida e a diretoria está deliberando e discutindo projetos para o futuro, como novas propostas.

“Quando eu recebi a notícia eu fiquei muito chateado e preocupado também. Contudo eu não deixei me abater e eu tenho trabalhado todos os dias com um grupo de pessoas para tentar apresentar uma proposta nova de serviço no futuro”, contou.

Com o encerramento dos serviços, 80 funcionários precisaram ser dispensados. “Eram 10 equipes efetivas, duas reservas e uma para férias”, contou ele, dizendo que a empresa tinha também uma função social e em todas as equipes haviam uma mulher e uma pessoas acima dos 60 anos de idade.

A partir de agora, a Cifra continua com os serviços de segurança e vigilância no Estado.

Jornal Midiamax