Cotidiano

Tempestade causou deslizamento em encosta e interditou casa em Corumbá

A chuva deu uma trégua, mas as equipes continuam trabalhando em resposta aos estragos causados pela tempestade em Corumbá, a 425 km de Campo Grande. Além 347 famílias desalojadas por conta dos alagamentos, a enxurrada ainda causou um deslizamento de terra em uma ocupação no bairro Generoso. Ninguém se feriu, mas uma casa teve que […]

Mylena Rocha Publicado em 15/01/2021, às 09h48 - Atualizado às 16h51

Casa que fica abaixo do terreno que cedeu teve danos estruturais. (Foto: Divulgação/ Defesa Civil de Corumbá)
Casa que fica abaixo do terreno que cedeu teve danos estruturais. (Foto: Divulgação/ Defesa Civil de Corumbá) - Casa que fica abaixo do terreno que cedeu teve danos estruturais. (Foto: Divulgação/ Defesa Civil de Corumbá)

A chuva deu uma trégua, mas as equipes continuam trabalhando em resposta aos estragos causados pela tempestade em Corumbá, a 425 km de Campo Grande. Além 347 famílias desalojadas por conta dos alagamentos, a enxurrada ainda causou um deslizamento de terra em uma ocupação no bairro Generoso. Ninguém se feriu, mas uma casa teve que ser interditada até que a temporada de chuvas passe.

O tenente Isaque do Nascimento, coordenador municipal de Defesa Civil, explica que o deslizamento de terra ocorreu porque o morador fez um lançamento de aterro sem acompanhamento técnico de um engenheiro. O objetivo era ‘prolongar’ o terreno, mas como a casa fica em uma área de encosta, houve o deslizamento.

“Não houve dano significativo na estrutura da casa, que foi construída na encosta. O que deslizou foi o alongamento do terreno, nós passamos a orientação técnica para refazer aquela área e fizemos a contenção com lonas, para que a erosão não prossiga”, explicou o tenente.

O coordenador de Defesa Civil afirma que por mais que não tenha ocorrido danos na casa onde o terreno deslizou, a residência localizada logo abaixo teve que ser interditada, pelo menos durante a temporada de chuvas. 

“Na hora da chuva, não havia ninguém. Essa casa de baixo teve danos estruturais e está orientada a, pelo menos por agora, ficar impedida de uso. Com algumas toneladas de aterro lançado deslizando, a pessoa fica temerosa, mas por sorte não houve vítima”, disse.

Nascimento diz que as famílias que moram na área de encosta estão há décadas no local. A área é considerada de risco, porém há níveis de risco e a maioria dos moradores têm casos com risco baixo e médio. Quando o risco é considerado alto, o morador é retirado do local. “Conseguimos realocar algumas famílias dessas áreas para unidades habitacionais, mas muitas permanecem”.

Por que as casas alagam?

Tempestade causou deslizamento em encosta e interditou casa em Corumbá
Famílias tiveram casas invadidas pela água. (Foto: Clóvis Neto/Prefeitura de Corumbá)

Nesta semana, após chover em poucas horas mais do que suficiente para o mês inteiro, 347 famílias ficaram desalojadas em Corumbá. A maioria procurou abrigo em casa de familiares e amigos, sendo que apenas uma ficou abrigada na Casa de Passagem. 

Mas, afinal, por que as casas alagam? O coordenador de Defesa Civil afirma que muitas casas nos bairros afetados têm como característica o terreno abaixo do nível da rua, além de estarem na ‘rota’ da água. Como houve uma enxurrada, as casas acabaram sendo invadidas pela água da chuva. “Muitas moradias ficam com a água represada, não tem para onde ir”.

Jornal Midiamax