Cotidiano

Sesau diz que 2ª dose foi 'golpe de sorte' e reforça não ter vacinas contra covid

Paciente afirma ter recebido a vacina, mesmo após informações que que imunizante teria acabado em Campo Grande

Gabriel Neves Publicado em 28/04/2021, às 11h42

Imagem ilustrativa.
Imagem ilustrativa. - (Foto: Henrique Arakaki/Midiamax)

O relato de uma moradora de Campo Grande que recebeu a segunda dose da Coronavac, vacina contra a covid-19, mesmo após a paralisação da vacinação com o imunizante fabricado na China, foi tratado como um “golpe de sorte” pela Sesau (Secretaria Municipal de Saúde).

Segundo a publicação, a moradora disse ter recebido a segunda dose da vacina no último sábado (24), mesmo sendo informada por terceiros de que as doses teriam acabado em Campo Grande. A mulher conta que se dirigiu até o Parque Ayrton Senna, local onde foi imunizada pela primeira vez, e teve a informação de que não haviam mais doses no local.

Se dirigindo a outros pontos de vacinação, ela acabou recebendo a segunda dose do imunizante no Albano Franco, “por volta das 15:00”, disse a mulher. Em nota, a Sesau afirmou que na data relatada “a vacinação estava aberta para pessoas com 59 anos ou mais, trabalhadores da saúde de 35 anos ou mais, com a primeira dose da Astrazeneca, e a segunda dose de Coronavac de pessoas agendadas até o dia 20 de abril”.

De acordo com a assessoria da secretaria, a mulher teve sorte ao ir até o local no sábado, pois, apesar do dia ser voltado para aplicação de segunda dose para pacientes agendados até o dia 20 de abril, era recomendado que o imunizante também fosse aplicado em pessoas que já haviam recebido a primeira dose da Coronavac há 28 dias ou mais.

A secretaria explica que o caso se trata de uma eventualidade reforçou que Campo Grande não possui mais imunizantes Coronavac e informou que sábado foi último dia de aplicação da Coronavac. Por conta disso não é recomendado que as pessoas busquem os pontos de vacinação, pois irão se expor e não conseguirão receber o imunizante.

“No momento o município ainda possui algumas doses da Astrazeneca, mas aqueles que receberam a primeira dose da Coronavac não podem mudar de imunizante na aplicação da segunda dose”, comentou a assessoria da Sesau.

Jornal Midiamax