Cotidiano

Sem vagas em hospitais, Mato Grosso do Sul tem a 3ª maior fila de espera por leitos UTI do país

Levantamento indica que Estado está atrás apenas do Paraná e de Minas Gerais

Gabriel Maymone Publicado em 08/06/2021, às 08h16

Hospitais não têm mais vagas em UTIs
Hospitais não têm mais vagas em UTIs - Divulgação

Com colapso na saúde e sem vagas em hospitais, Mato Grosso do Sul tem a 3ª maior fila de espera por leito UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do país. Conforme levantamento, MS tem 251 pacientes com covid esperando transferência, atrás apenas do Paraná, que tem 637 e de Minas Gerais, com 268. Na 4ª posição aparece o estado de São Paulo, com 234 pessoas na fila.

É a segunda semana seguida que MS aparece entre os estados com maior número de pacientes em estado grave com covid esperando transferência para hospital.

Conforme boletim da SES (Secretaria Estadual de Saúde), Mato Grosso do Sul tem 1.303 pessoas internadas com covid, sendo que 552 deles estão em estado grave em UTIs. O painel 'Mais Saúde' mosra que o Estado atingiu o pico da ocupação de leitos UTI na segunda-feira, chegando a 109%. O número caiu para 106% nesta terça-feira.

Transferência de pacientes

Com colapso na saúde e uma das maiores filas de pacientes com covid esperando vaga em UTIs (Unidade de Terapia Intensiva) do país, Mato Grosso do Sul conseguiu apoio de outros estados, que cederam vagas em hospitais para pacientes sul-mato-grossenses. Assim, 16 pacientes com covid já foram transferidos para Rondônia e São Paulo.

Conforme o secretário de saúde de MS, Geraldo Resende, o estado de Rondônia cedeu 10 leitos UTI para retribuir quando MS havia recebido pacientes rondonienses em janeiro deste ano. Além disso, o governador João Dória também ofereceu outros 10 leitos em São Paulo.

O secretário afirmou que o prefeito de Sâo Bernardo do Casmpo, na região metropolitana de São Paulo ofereceu 5 leitos UTIs e 5 leitos clínicos. "Vamos utilizá-ls tendo em vista a dificuldade que temos hoje de leitos em Mato Grosso do Sul devido a esse cenário que indica pré-colapso".

Mulher de MS morreu em Rondônia

Uma das pacientes transferidas para Rondônia foi a douradense Nice Menani, 52 anos, que não resistiu e morreu nessa segunda-feira (07). Ela estava internada desde a última sexta-feira (04), quando foi transferida em avião de MS para Rondônia. O secretário de saúde de Mato Grosso do Sul, Geraldo Resende, confirmou que o traslado do corpo será feito a partir desta terça-feira (08).

Jornal Midiamax