Cotidiano

Sem telhas e comida molhada: temporal deixou mais de 700 famílias com prejuízos em Campo Grande

Família com 15 pessoas sem renda fixa é uma das que está passando por dificuldades

Fábio Oruê Publicado em 20/10/2021, às 17h40

Famílias estão recebendo cestas básicas e materiais para fazer reparos nas casas
Famílias estão recebendo cestas básicas e materiais para fazer reparos nas casas - Foto: Denilson Secreta/ Divulgação

Levantamento feito pela prefeitura mostra que cerca de 700 famílias tiveram suas casas destelhadas e perderam alimentos, que foram molhados, após o temporal que atingiu Campo Grande na última sexta-feira (15).

Desde segunda-feira (18), o poder público com apoio de empresários estão fazendo doações de telhas, colchões, cestas básicas e outros produtos para as pessoas em vulnerabilidade social, que tiveram prejuízos com o temporal. 

Nesta quarta-feira (20), foi a vez da Maria do Socorro Ferreira Nascimento ganhar um reforço no auxílio que ela e sua família receberam no início da semana, por meio da equipe do Cras (Centro de Referência da Assistência Social) Rosa Adri, que atende a comunidade da região do Bairro Dom Antônio Barbosa.

Logo nas primeiras horas após o vendaval, a equipe entregou colchões e cesta básica para a aposentada, que mora no Residencial José Teruel Filho, em uma casa que abriga 15 pessoas. A dona de casa foi obrigada a deixar o emprego de diarista devido a problemas de saúde, que se agravaram e resultaram na amputação de parte de sua perna direita.

Como os quatro adultos da família estão sem renda fixa no momento, dona Maria ficou responsável pelo sustento de dez crianças, entre filhos e netos, com idades entre um e 12 anos. Para arcar com as despesas, ela conta apenas com o LOAS, auxílio equivalente a um salário mínimo, concedido para pessoas com deficiência e idosos acima de 65 anos que não possuem renda.

Susto

Ainda com a lembrança dos momentos de terror que passou ao ver a edícula onde mora a filha ser totalmente destelhada, dona Maria não escondeu a emoção ao receber o reforço de alimentos que irão garantir a refeição da família nos próximos dias.

“Quando começou o vendaval, corremos para dentro e as telhas da casa da minha filha voaram todas para o telhado da minha casa. Ficamos com muito medo. Meus filhos e netos são a coisa mais importante da minha vida. Quando vi a destruição fiquei desesperada”, contou a dona de casa com a ajuda do filho Matheus, de 12 anos.

Jornal Midiamax