Cotidiano

Sem definição sobre ano letivo de 2021, SED-MS suspende restrições e atendimento volta ao normal

A SED-MS (Secretaria de Estado de Educação de Mato Grosso do Sul) suspendeu parte da resolução, que disciplina o ensino remoto durante a pandemia de Covid-19, e acabou com as restrições sobre o atendimento presencial nas escolas. A decisão consta na edição desta sexta-feira (29) do DOE (Diário Oficial Eletrônico). Até então, as unidades deveriam […]

Adriel Mattos Publicado em 29/01/2021, às 10h09 - Atualizado às 10h42

Foto: Divulgação, CRE10/SED-MS
Foto: Divulgação, CRE10/SED-MS - Foto: Divulgação, CRE10/SED-MS

A SED-MS (Secretaria de Estado de Educação de Mato Grosso do Sul) suspendeu parte da resolução, que disciplina o ensino remoto durante a pandemia de Covid-19, e acabou com as restrições sobre o atendimento presencial nas escolas. A decisão consta na edição desta sexta-feira (29) do DOE (Diário Oficial Eletrônico).

Até então, as unidades deveriam permanecer abertas ao público nos períodos matutino e vespertino, com atendimento realizado pelo diretor, diretor adjunto e secretário escolar. Servidores trabalhavam em regime de escala. Agora, o público volta a ser atendido nos três turnos, por qualquer funcionário. 

Aqueles que integram o chamado grupo de risco para a doença causada pelo novo coronavírus vão continuar executando suas atividades no regime de teletrabalho.

Ao assinar a nova resolução, a titular da SED, Maria Cecília Amêndola da Motta, considerou a necessidade de se organizar para o ano letivo de 2021 e o protocolo de biossegurança para retomada das aulas presenciais.

Indefinição

Apesar disso, a pasta só definiu ainda que os alunos voltam a estudar em 1º de março. O Governo do Estado trabalha com três alternativas.

O retorno dos estudantes às salas de aula tem a primeira possibilidade que é a forma presencial, a segunda alternativa é o modo híbrido, ou seja, lecionar as disciplinas parte no presencial e outra à distância, e por último a chance de manter os alunos no ensino remoto.

Para o caso da volta às escolas, a SED investiu retorno dos estudantes as salas de aula tem a primeira possibilidade que é a forma presencial, a segunda alternativa é o modo híbrido, ou seja, lecionar as disciplinas parte no presencial e outra à distância, e por último a chance de manter os alunos no ensino remoto.

A SES (Secretaria de Estado de Saúde) está orientando este retorno. A opção mais provável é do ensino híbrido, quando parte dos alunos voltaria de forma presencial e haveria rodízio nas turmas, sendo que a cada dia da semana, parte dos estudantes iria à escola e, nos demais dias, assistiria às aulas em casa.

*(Texto alterado às 10h41 para acréscimo e correção de informações)

Jornal Midiamax