Cotidiano

Quase sem uso, hospitais de campanha custaram R$ 23,7 milhões antes de MS ‘despachar’ pacientes de Covid. Confira no Midiamax Diário

Edição impressa do Jornal Midiamax destaca despesas com estruturas montadas em Campo Grande e Ponta Porã

Humberto Marques Publicado em 10/06/2021, às 07h00

Versão impressa pode ser encontrada gratuitamente em terminais e em 40 pontos de distribuição da periferia de Campo Grande
Versão impressa pode ser encontrada gratuitamente em terminais e em 40 pontos de distribuição da periferia de Campo Grande - Reprodução

Gastos de mais de R$ 23 milhões em 5 meses com leitos hospitalares para pacientes de coronavírus que mal foram utilizados. Este foi um resumo do que representaram os hospitais de campanha montados pelo governo de Reinaldo Azambuja (PSDB) nos hospitais regionais de Campo Grande e Dourados.

Apenas no HR da Capital, foram mais de R$ 15 milhões em leitos que ficaram praticamente vazios naquele momento da pandemia, meses antes de Mato Grosso do Sul exportar pacientes de coronavírus para outros Estados por falta de vagas em UTIs.

Esta situação baseia reportagem do Midiamax Diário desta quinta-feira (10), que fala também do novo recorde de casos positivos de Covid no Estado em 24 horas: foram mais de 3 mil infectados. A disputa por 3 milhões de doses de vacinas da Janssen, de dose única, é outro assunto a ilustrar as páginas da edição

A versão impressa do Jornal Midiamax fala também das obras na Rua Rui Barbosa, que incluem rede de drenagem que pode ajudar a conter as enchentes na região do São Francisco; bem como da distribuição de uniformes na Reme (Rede Municipal de Ensino) e da oitava edição da operação Luz da Infância, contra pornografia infantil e que teve prisões no Estado.

O Midiamax Diário é distribuído gratuitamente nos terminais de transporte coletivo de Campo Grande e em cerca de 40 pontos da periferia. Você também pode acessar a versão online da edição logo abaixo deste texto ou, ainda, na nossa página na banca virtual Issuu.

Jornal Midiamax