Cotidiano

Prefeitura lança campanha de conscientização: ‘No rolê, sempre cabe mais um, na UTI não’

Com hospitais lotados e falta de leitos, objetivo e conscientizar moradores para evitar aglomeração

Karina Campos Publicado em 13/04/2021, às 08h18

None
(Foto: Divulgação)

A Prefeitura de Campo Grande lançou, nesta segunda-feira (12), a campanha de conscientização ‘No rolê, sempre cabe mais um, na UTI não’, para evidenciar a falta de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva), por conta da pandemia da Covid-19, e pedir a colaboração de moradores para evitar aglomeração em festas.

Conforme o município, o enfrentamento à pandemia depende da responsabilidade de cada campo-grandense. “Quando você usa máscara, evita aglomerações e cumpre o isolamento social, está protegendo a si mesmo e todos ao seu redor. Faça sua parte. Juntos vamos vencer!”, informa.

Variantes

Está cada vez mais evidente que a Covid-19 não é perigosa apenas para os idosos. Em 2021, casos graves e mortes de adultos jovens pela doença dispararam no Brasil. Entre janeiro e março, o número de óbitos disparou 353% entre pessoas de 30 a 39 anos, e 419% na faixa etária dos 40 a 49 anos, segundo o último boletim do Observatório Covid-19, da Fiocruz.

O aumento na população em geral no mesmo período foi de 223%. A mortalidade segue superior em idosos, mas a idade média das vítimas do coronavírus baixou de 71 em janeiro de 2021 para 66 em março.

Dados dos Cartórios de Registro Civil mostram que, só em março, 21 mil brasileiros entre 30 e 59 anos morreram de Covid-19. É um número três vezes maior do que o observado entre julho e agosto do ano.

Dada a mudança brusca dos pacientes críticos, os médicos também suspeitam que a variante P1 possa ser mais agressiva. Isto é, ela teria maior capacidade de desencadear consequências sérias mesmo em um organismo jovem e saudável.

Segundo a Associação de Medicina Intensiva Brasileira (Amib), a mortalidade de pacientes com menos de 45 anos internados em unidades de terapia intensiva (UTIs) triplicou de 13% em meados de novembro para 38,5% em março. Isso significa que, para cada dez adultos jovens brasileiros internados numa UTI no mês passado, cerca de quatro não resistiram à doença. 

Jornal Midiamax