Cotidiano

Prefeitura de Corumbá apela para conscientização, mas lockdown não é descartado

Comunicado foi feito nesta segunda-feira

Ranziel Oliveira Publicado em 31/05/2021, às 14h07

Fachada da prefeitura de Corumbá
Fachada da prefeitura de Corumbá - (Foto: Divulgação / Prefeitura de Corumbá)

A Prefeitura de Corumbá fez um apelo buscando a conscientização da população, para evitar um possível lockdown. Os leitos de UTI (Unidade de terapia intensiva) da cidade estão lotados com pacientes da Covid-19. O comunicado foi feito na manhã desta segunda-feira (31), durante live transmitida pela página oficial da Prefeitura no Facebook.

“A gente vem trabalhando para manter o equilíbrio entre a economia e a saúde, mas isso depende muito da consciência da maioria da população”. Desta forma, o prefeito de Corumbá, Marcelo Iunes, fez um apelo à sociedade pelo aumento do isolamento social na cidade.

“O lockdown é uma medida extrema e que não queremos adotar, mas se a situação não melhorar, vamos sim optar por salvar a vida das pessoas”, reforçou o chefe do Executivo municipal. Além do isolamento, o prefeito ainda reiterou a importância da utilização da máscara facial e do álcool em gel.

Situação dos hospitais

Os representantes da rede hospitalar reafirmaram que, a exemplo do que acontece em praticamente todo o País, os leitos de UTI estão lotados com pacientes da Covid-19. Tanto na Santa Casa quanto na Cassems, não há falta de medicamentos, EPIs ou de oxigênio. Entretanto, a disponibilidade desses materiais no mercado está ficando escassa.

“Há uma procura gigantesca por todos os Municípios e pela rede privada. Temos que consultar de 25 a 30 empresas para conseguir alguns itens. Além disso, o tempo para entrega também ficou muito maior do que o normal”, explicou O diretor-presidente da Junta Interventora que administra a Santa Casa de Corumbá, Adriano Pires.

“Repito, não falta nada na Santa Casa, mas a população precisa se conscientizar e evitar que o vírus siga circulando na cidade”, pontuou. Há mais de três décadas trabalhando no local, o médico Manoel João também fez um apelo aos munícipes, principalmente os mais jovens, que já são a maioria dos casos positivos na cidade.

“Não é hora de fazer festas, de aglomerar. Estamos vivendo um momento crítico dessa pandemia, nosso hospital está lotado e nossos profissionais, que são verdadeiros guerreiros, estão exaustos. Então fiquem em casa”, finalizou.

Jornal Midiamax