Cotidiano

Para volta às aulas, professores de escolas do Sesi de MS fazem exames de decteção de coronavírus

Para o retorno das aulas presenciais, cerca de 110 professores da Sesi realizam, nesta sexta-feira (29), exames para detecção da Covid-19. Os testes devem ser feitos a cada 15 dias nos docentes e outros funcionários das unidades do Estado. As unidades que já participaram do processo de biossegurança e prontas para o retorno são: Aparecida […]

Karina Campos Publicado em 29/01/2021, às 14h25 - Atualizado às 14h51

(Foto: Divulgação/Sesi)
(Foto: Divulgação/Sesi) - (Foto: Divulgação/Sesi)

Para o retorno das aulas presenciais, cerca de 110 professores da Sesi realizam, nesta sexta-feira (29), exames para detecção da Covid-19. Os testes devem ser feitos a cada 15 dias nos docentes e outros funcionários das unidades do Estado.

As unidades que já participaram do processo de biossegurança e prontas para o retorno são: Aparecida do Taboado, Campo Grande, Corumbá, Dourados, Maracaju, Naviraí e Três Lagoa. Na segunda-feira (1°), mais de 500 funcionários das escolas de Corumbá, Dourados, Maracaju e Três Lagoas passarão pelo exame.

Segundo o enfermeiro Ewerton Souza, que faz parte da equipe do sistema de Gestão em SST (Segurança e Saúde no Trabalho) do Sesi, disse que os exames vão ser feitos a cada 15 dias com todos os colaboradores e prestadores de serviço das sete escolas do Estado.

“A medida faz parte dos protocolos de biossegurança estabelecidos para o retorno seguro das aulas presenciais. A importância dessa ação é manter um ambiente seguro para o retorno as aulas presenciais, não só pensando na saúde dos nossos colaboradores, mas também dos alunos. Enquanto dure esse cenário de pandemia, nós da equipe de saúde do Sesi vamos continuar dando assistência para manter um ambiente seguro para todos nossos colaboradores e alunos”, explicou.

Não foi divulgado se algum funcionário testou positivo para doença, porém, a unidade informou que os casos positivos são afastados do convívio escolar durante o período de quarentena.

O coordenador pedagógico da Escola do Sesi de Campo Grande, Marcel Giordano Jeffery, foi um dos funcionários testados e contou que até agora não foi diagnosticado com a doença. “Muito gratificante ver que a empresa estar pensando nos funcionários dessa maneira, se preocupando e fazendo a testagem dos colaboradores”, finaliza.

Jornal Midiamax