Cotidiano

'No limite', diz secretário sobre abertura de novos leitos após MS registrar maior taxa de ocupação do país

MS tem maior taxa de ocupação de leitos UTI covid do país

Gabriel Maymone Publicado em 27/05/2021, às 11h05

Secretário estadual de saúde, Geraldo Resende
Secretário estadual de saúde, Geraldo Resende - Reprodução / Facebook

Com 99% dos leitos UTI (Unidade de Terapia Intensiva) para pacientes covid ocupados, Mato Grosso do Sul está no limite e não tem capacidade para ampliação de leitos. "Chegou no limite, não existe como ampiar", afirmou o secretário estadual de saúde, Geraldo Resende.

Boletim divulgado na noite de quarta-feira (26) mostrou que MS ao lado de Sergipe tem a pior taxa de ocupação do país.Em seguida estão: Pernambuco (98%), Rio Grande do Norte (97%), Paraná (96%) e Santa Catarina (95%).

O Estado conta hoje com 576 leitos para pacientes graves com covid e não tem mais vagas. Dessa forma, a fila de espera para internação por covid é recorde da pandemia, com 231 pacientes esperando a transferência. A maioria deles está em Campo Grande: 142.

Assim, Resende explica que o Estado está com dificuldade em ampliar alguns leitos previstos. "Estamos esperando há 2 meses abertura de leitos no hospital da UFGD, em Dourados. Estamos aguardando abertura de 10 leitos em Três Lagoas e estamos negociando  abertura de 10 leitos no Hospital Dr. José Simone, em Ponta Porã, mas o instituto que faz a operação por lá está discutindo sobre o reequilíbrio financeiro", pontuou.

Por fim, o secretário esclarece que os municípios são responsáveis pela abertura dos leitos, mas que o Estado pode ajudar no financiamento e até com equipamentos. "Mas isso tem que partir dos gestores municipais", esclareceu.

Jornal Midiamax