Cotidiano

'Não importa a marca': Vacinação para industriários lota drives em Campo Grande

Fila não intimidou campo-grandense: 'o importante é sair imunizado'

Dayene Paz e Gabriel Neves Publicado em 25/06/2021, às 09h58

Fila quilométrica no Albano Franco
Fila quilométrica no Albano Franco - Imagem: Marcos Ermínio

Com a ampliação da vacinação contra a Covid-19 para população com 45 anos ou mais, também para os trabalhadores da indústria com 25 ou mais, os drives de Campo Grande amanheceram lotados nesta sexta-feira (25). E não importa a marca da vacina, muito menos o tamanho da fila, para quem procura os locais, o importante é sair imunizado.

No drive-thru do Albano Franco, a reportagem do Jornal Midiamax encontrou uma fila de aproximadamente dois quilômetros. No entanto, o tamanho da fila não desmotivou Elaine Muniz, de 46 anos. Ela chegou cedo e já esperava a fila grande. "Para quem esperou tanto tempo para tomar a vacina, umas horas na fila não vai fazer diferença", destacou.

Elaine comenta que não se importa com a marca. "O importante é se imunizar. Se a vacina está aí é porque ela funciona", disse.

Para Natálio Cene, de 45 anos, a espera também não é desmotivadora. Pelo contrário, afirma que a fila está andando rápido e a expectativa só aumenta pela imunização. "Não via a hora de chegar na minha idade e poder me vacinar. Eu sei que cada uma das vacinas tem reações fortes, mas o que aplicar para mim tá bom, quero ficar imune logo", comemorou.

Para quem perdeu entes queridos para a Covid-19, a ansiedade é maior. É o caso de Nelson Ricardo, de 48 anos, que perdeu cinco pessoas da família para a doença. "Faz horas que queria vacinar, porque não aguento mais essa doença. Já perdi cinco parentes, até tia e primo próximos", lamentou.

Nelson perdeu cinco pessoas da família - Imagem: Marcos Ermínio
Nelson perdeu cinco pessoas da família - Imagem: Marcos Ermínio

Há mais de duas horas na fila, Gisele Dias, de 45 anos, espera tomar a primeira dose da Pfizer. "Quando chegou no 46 acabou e não pude vacinar, então fiquei muito ansiosa", revelou. Sobre preferência de marca, a mulher afirma: "vacina não é sorvete, você não chega e escolhe, você só toma e fica imunizado".

O drive do parque Ayrton Sena, no bairro Aero Rancho, também amanheceu com fila grande. No local, muitos ambulantes e até crianças aproveitam para vender mercadorias.

Gisele estava ansiosa pela vacinação - Imagem: Marcos Ermínio

Vacinação em Campo Grande

Campo Grande iniciou a vacinação de pessoas a partir de 45 anos nesta sexta-feira (25). A imunização segue para grupo prioritário para trabalhadores industriais com 25 anos ou mais.

A aplicação da 2ª dose segue para pessoas que tomaram a primeira dose de Coronavac até o dia 10 de junho e quem tomou a primeira dose de Astrazeneca até dia 25 de abril também devem procurar os locais de imunização para receber a dose de reforço.

A orientação é para que as pessoas façam o cadastro no sistema de identificação prévia para evitar filas e aglomerações. O acesso é pelo site: http://vacina.campogrande.ms.gov.br.

Jornal Midiamax