Cotidiano

MS inicia vacinação a partir de 17 anos sem comorbidades neste fim de semana

Serão destinadas doses da Pfizer para vacinar os adolescentes, informou a SES

Mylena Rocha Publicado em 13/08/2021, às 11h00

Adolescentes a partir de 17 anos serão vacinados em MS.
Adolescentes a partir de 17 anos serão vacinados em MS. - Henrique Arakaki/Midiamax

Mato Grosso do Sul deve iniciar neste fim de semana a vacinação dos adolescentes sem comorbidades contra o coronavírus. A informação foi divulgada durante a live da SES (Secretaria de Estado de Saúde), nesta sexta-feira (13), assim metade das doses recebidas da vacina da Pfizer serão destinadas ao público. 

O secretário estadual de saúde, Geraldo Resende, explicou que a vacinação começará com os adolescentes com 17 anos. “Eu quero dar aqui essa informação, vamos ser o primeiro estado a iniciar o processo, já neste fim de semana, de imunização dos adolescentes sem comorbidades. Todos os municípios já estão fazendo [imunização] nos adolescentes com comorbidade, que têm alguma patologia, mas agora vamos iniciar adolescentes sem comorbidades. [Será com] um quantitativo ainda pequeno, mas direcionados a adolescentes de 17 anos [recém-completos] a 17 anos 11 meses e 29 dias”, disse. 

Resende ainda reforçou que serão endereçadas 50% das doses da vacina da Pfizer para imunização dos adolescentes. Mato Grosso do Sul recebe, no fim da tarde, um novo lote com 23.400 doses de Pfizer. “Seremos o primeiro estado, isso é muito bom. Algumas Capitais começaram, como São Luiz, Rio Branco, mas como estado seremos os primeiros”. 

O Presidente do Cosems (Conselho de Secretarias Municipais de Saúde), Rogério Leite, destaca que a união dos municípios possibilitou a vacinação dos adolescentes. “Temos 24 municípios que estão muito próximo dos 18 anos, vamos distribuir de forma que eles possam também vacinar os menores de 18 anos, para que continuemos avançando juntos”.

3ª dose para idosos

O titular da SES também comentou que está sendo discutida a aplicação de uma dose de reforço, começando pelos idosos em Mato Grosso do Sul. Resende citou que há estudos sobre a terceira dose em países da Europa e no Chile. "Que possamos fazer isso para evitar a possibilidade de chegar novas variantes".

Jornal Midiamax