Cotidiano

Mortes por acidente de trabalho aumentam em MS e caminhoneiros são principais vítimas

Pandemia do coronavírus impactou saúde de profissionais da Saúde

Renan Nucci Publicado em 14/04/2021, às 16h34

Segundo o TRT, 13 caminhoneiros morreram em MS no ano passado
Segundo o TRT, 13 caminhoneiros morreram em MS no ano passado - Divulgação

As mortes por acidente de trabalho aumentaram 39% em Mato Grosso do Sul no ano passado, em comparação com 2019. As principais vítimas são os caminhoneiros, com 13 óbitos registrados. Em seguida vêm os funcionários de linha de produção, com três casos, trabalhadores rurais, com mais três casos e tratoristas agrícolas, com dois casos, entre outros profissionais. Ao todo, foram 46 mortes em 2020.

Em contrapartida, o número de acidentes diminuiu 10%. Em 2020, foram 7.052 casos contra 7.854 no ano anterior. Nessa estatística também entram os afastamentos por doenças ocupacionais, que são classificadas como acidentes de trabalho. As doenças aumentaram 98%, saltando de 130 casos, em 2019, para 327, em 2020. As informações são do Concat (Sistema para Consulta Online de Dados da Comunicação de Acidente de Trabalho), que permite o acesso ao banco de dados da Previdência Social.

O juiz do trabalho Marcio Alexandre da Silva, Gestor Regional do Programa Nacional de Prevenção de Acidentes de Trabalho da Justiça do Trabalho, afirma que a prática do home office pode ter contribuído para a queda na redução dos acidentes, juntamente com o aumento das demissões e suspensões de contratos de trabalho. 

Já o aumento das mortes demonstra a gravidade dos acidentes, mas não está relacionado com a pandemia de coronavírus. O juiz esclarece que embora seja possível caracterizar os óbitos por Covid-19 como acidentes de trabalho, na prática, dificilmente há notificações por causa da doença. 

Já a procuradora do trabalho Claudia Noriler explica que os dados podem ser ainda mais preocupantes. "O número de subnotificações é alto, porque apenas recentemente o Ministério da Economia esposou um entendimento sobre quais são os casos em que se é necessária a emissão de Comunicação de Acidente de Trabalho em razão de adoecimento do trabalhador por coronavírus, então, com certeza, vai haver um número de subnotificação em relação aos casos de coronavírus e afastamento do trabalho".

Reflexos da pandemia

Outro reflexo da pandemia nos acidentes de trabalho envolve os profissionais da saúde. Em 2020, a categoria com mais acidentes foi a de técnicos de enfermagem, com 543 casos, 32% a mais do que em 2019, quando figurava na segunda posição da lista, com 412 notificações. O ranking das 20 profissões que mais acidentaram no ano passado em Mato Grosso do Sul traz os enfermeiros em sétimo lugar, com 178 acidentes, sendo que no ano anterior eles apareciam na 22ª posição, com 84 notificações, um aumento de 111%. 

"Esses dados são ocasionados devido ao enfrentamento da Covid-19, que culminou primeiramente na contaminação de muitos profissionais que contraíram o vírus. Também, na sobrecarga de trabalho de todos profissionais da enfermagem, principalmente pelo aumento de pacientes com graves problemas de saúde, gerados pela pandemia. Além, disso, no Estado, devido à falta de mão-de-obra e necessidade emergencial da contratação de mais profissionais para combater o inimigo invisível, muitos enfermeiros e técnicos assumiram novas jornadas de trabalho e passaram a trabalhar mais", afirma o Presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Área de Enfermagem de Mato Grosso do Sul, Lázaro Santana.

Jornal Midiamax