Cotidiano

Morre em Campo Grande Paulo do Radinho, vítima de complicações por diabetes

Ele estava internado em estado grave desde o dia 4 de abril

Gabriel Maymone Publicado em 31/05/2021, às 07h43

Paulo Do Radinho levava alegria a quem passava pela esquina da Rua 14 de Julho com a Avenida Afonso Pena
Paulo Do Radinho levava alegria a quem passava pela esquina da Rua 14 de Julho com a Avenida Afonso Pena - Leandro Marques / Midiamax

Paulo da Silva Baptista ,mais conhecido como “Paulo do Radinho”, morreu na noite de domingo (30) em Campo Grande. Ele estava internado no Hospital do Pênfigo e não resistiu a complicações da diabetes.

No final de fevereiro, ele chegou a ficar 38 dias internado no Hospital El Kadri por conta da diabetes e deixou o local no dia 3 de abril, retornando para Jardim, para aficar com a irmã. Porém, teve crise glicêmica e no dia seguinte foi levado  ao Hospital de Jardim, de onde precisou ser trasferido com urgência para Campo Grande.

No dia 26 de abril, Paulo permanecia em quadro gravíssimo e foi acometido por uma infecção, que piorou a situação. Na época, a família para que as pessoas também orem pelo irmão, que ficou muito conhecido na Capital, sempre com o radinho em mãos nos finais da tarde no cruzamento entre a Avenida Afonso Pena com a Rua 14 de Julho. Ele deu entrada no hospital com quadro de hipoglicemia, uma complicação do diabetes.

Paulo do Radinho será velado e sepultado em Jardim, onde a família mora.

Legado

Paulo era um verdadeira artista e era figura icônica que brilhava nos cruzamentos da Avenida Afonso Pena, em Campo Grande. Com um lenço na cabeça, óculos estiloso e coreografias marcantes, Paulo era conhecido por todos.

Confira abaixo entrevista do Paulo do Radinho ao Jornal Midiamax veiculada no dia 26 de novembro de 2019:

Jornal Midiamax