Cotidiano

Moradores da região central de Campo Grande e do interior estão há mais de 3 dias sem energia

Em regiões rurais, falta de eletricidade prejudicou abastecimento de água

Gabriel Maymone Publicado em 19/10/2021, às 11h32

Problemas em postes ainda não foram resolvidos pela Energisa
Problemas em postes ainda não foram resolvidos pela Energisa - Leitor Midiamax

Diversos locais de Mato Grosso do Sul já estão há mais de 3 dias sem energia elétrica, inclusive moradores da região central de Campo Grande. Conforme relatos de leitores do Jornal Midiamax, há falta de luz no Bairro dos Vendas, na Capital, no Jardim Santa Emília, na Vila Jacy, no Assentamento Santa Mônica, em Terenos, em regiões de Ponta Porã e no Distrito do Capão Seco, em Sidrolândia, e Rochedo.

Na Rua Nelson de Figueiredo, no Bairro dos Vendas, a falta de energia prejudica moradores, empresas e escritórios, que estão com atividades comprometidas. É o caso do advogado Alexandre Morais Cantero, que dispensou os 17 funcionários. "Já cansamos de ligar para a Energisa. No sábado, esperamos, a gente esperou no domingo, na segunda também aguardamos, hoje é terça", lamenta.

De acordo com o profissional, não há uma resposta da concessionária sobre a perspectiva de retorno do fornecimento de energia. "Na rua tem outros escritórios próximos ao meu, tem obra que está parada, tem empresa de entrega que depende do sistema para realizar seu serviço e dois condomínios inteiros sem energia. Isso me preocupa, pois, não tem perspectiva de retorno da Energisa", reclama.

Ainda em Campo Grande, moradores da Rua Santa Bertília, no Bairro Santa Emília, também amargam prejuízos e transtornos pela falta de energia, que ainda não havia sido restabelecida na manhã desta terça-feira. "Faz 4 dias que estou sem energia! Perdi todas as minhas coisas da geladeira! Está difícil!", exclamou Andy França.

Até a noite de segunda-feira, 12% dos clientes afetados pela falta de energia ainda estavam 'no escuro'.

No interior...

Também há relatos de falta de energia no distrito de Capão Seco, em Sidrolândia. Por lá, moradores que utilizam poço estão sem fornecimento de água, aumentando o transtorno. "Estamos sem água, pois dependemos da energia para ligar o poço, desde sexta-feira. Já ligamos [na Energisa] várias vezes e nada", reclama uma moradora.

Em fazenda na região do areia, em Rochedo, dois postes de energia caíram na quinta-feira e permanecem no chão nesta terça-feira. Morador gravou vídeo reclamando da situação. "É um absurdo o que a Energisa faz com a população. Arrebentou o fio lá dentro, vieram aqui e falaram que iriam voltar, mas não voltaram", disse, completando que o povo da região já não tem mais água para beber.

No Assentamento Santa Mônica, em Terenos, moradores também enfrentam dificuldades decorrentes da falta de energia. "As pessoas estão sem luz e sem água, pois dependem da luz para ter água de poço. Minha sogra está indo buscar água no córrego para usar em casa e dar para as vacas beberem", comenta Jhully Oliveira.

Sem água

Conforme a Sanesul (Empresa de Saneamento de Mato Grosso do Sul), a falta de energia prejudicou o abastecimento de água em Pana, distrito do município de Nova Alvorada do Sul, e Cabeceira do Apa, distrito do município de Ponta Porã.

Isso porque, segundo nota oficial da empresa, a interrupção no fornecimento de energia elétrica prejudica os processos operacionais de bombas em poços e estações elevatórias, essenciais para garantir o abastecimento de água nesses locais.

Outro lado

Segundo balanço divulgado na manhã desta terça-feira (19) pela Energisa, 8% dos clientes que foram afetados pela falta de energia continuam sem o fornecimento. A empresa informa que a demanda de falta de energia teve alta de 15 vezes a média diária atendida pela empresa e que a concessionária está com 10 vezes mais equipes em campo para agilizar o serviço.

Jornal Midiamax