Cotidiano

Justiça marca audiência para investigar ‘fura fila’ de vacinação em servidores de Campo Grande

A 2ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais de Campo Grande determinou, nesta sexta-feira (29), a abertura de audiência de conciliação para investigar a denúncia de vacinação contra a Covid-19 em servidores do administrativo da prefeitura municipal que não fazem parte do grupo prioritário. De acordo com a denúncia, o Sisem (Sindicato dos Funcionários […]

Karina Campos Publicado em 29/01/2021, às 14h56 - Atualizado às 15h00

(Foto: Arquivo Midiamax)
(Foto: Arquivo Midiamax) - (Foto: Arquivo Midiamax)

A 2ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais de Campo Grande determinou, nesta sexta-feira (29), a abertura de audiência de conciliação para investigar a denúncia de vacinação contra a Covid-19 em servidores do administrativo da prefeitura municipal que não fazem parte do grupo prioritário.

De acordo com a denúncia, o Sisem (Sindicato dos Funcionários e Servidores Municipais) teve conhecimento de funcionários municipais terem furado a fila em postos de saúde após ter recebido nomeações ‘relâmpagos’.

O processo pede que o município informe uma lista de transparência com os dados de todos os servidores que foram imunizados contra a doença contendo o cargo, local e função de todos as pessoas já vacinadas.

O juiz David de Oliveira Gomes Filho intimou as partes em audiência marcada para o dia 1° de fevereiro para apurar a situação.

Em nota, a prefeitura informou que a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) mantém um controle rigoroso em relação a distribuição das doses e acompanhamento da aplicação, sendo mais de 5 mil pessoas pertencentes ao grupo prioritário vacinadas. O episódio citado pelo sindicato foi isolado e está tendo medida providenciadas.

“O município trabalha no aperfeiçoamento do sistema de identificação prévia para que seja evitado qualquer tipo de fraude e todo o processo seja mais seguro e célere. Todas as informações referentes ao processo de imunização no município estão à disposição dos órgãos de controle”, comunica a nota.

Jornal Midiamax