Cotidiano

Instalação de polos de imunização contra coronavírus depende de número de doses, anuncia prefeitura

A prefeitura de Campo Grande anunciou, nesta sexta-feira (22), que a próxima etapa de vacinação contra a Covid-19 deve ser instalado um polo de imunização no Guanandizão e o sistema drive-thru no Parque Ayrton Senna. Porém, a medida só deve ser determinado com a chegada de mais doses de vacina e liberação de públicos do […]

Karina Campos Publicado em 22/01/2021, às 15h13

Enfermeiro da UPA recebe a primeira dose. (Foto: Divulgação).
Enfermeiro da UPA recebe a primeira dose. (Foto: Divulgação). - Enfermeiro da UPA recebe a primeira dose. (Foto: Divulgação).

A prefeitura de Campo Grande anunciou, nesta sexta-feira (22), que a próxima etapa de vacinação contra a Covid-19 deve ser instalado um polo de imunização no Guanandizão e o sistema drive-thru no Parque Ayrton Senna. Porém, a medida só deve ser determinado com a chegada de mais doses de vacina e liberação de públicos do grupo de risco.

As estratégias que devem ser aplicadas nas próximas etapas de vacinação estão previstas no Plano Municipal de Vacinação. A expectativa é de que as estruturas sejam implementadas a medida em que novas doses sejam enviadas ao município e haja liberação da vacinação dos demais públicos prioritários.

Na chegada da primeira remessa de doses, apenas trabalhadores da saúde lotados em hospitais, unidades de urgência e emergência de Atenção Primária, e idosos asilados foram imunizados.

“Essas estruturas serão montadas assim que as novas etapas forem acontecendo. A ideia é facilitar o acesso destes grupos prioritários à vacina, sem que haja tumultuo. Além disso, a princípio definimos 55 unidades estratégicas que irão receber essas pessoas”, disse o secretário municipal de Saúde, José Mauro Filho.

A Capital já recebeu 26.898 doses da vacina Coronavac, .etre os dias 19 e 21 de janeiro já foram imunizadas 5.375 pessoas em Campo Grande. O público total prioritário é estimado em 233,6 mil pessoas no município.

Já na segunda fase, é a vez das pessoas de 60 a 74 anos. Em seguida, na terceira fase de imunização, pessoas com comorbidades que apresentam maior chance para agravamento da Covid-19 (como pacientes com doenças renais crônicas e cardiovasculares). E, por fim, professores, forças de segurança e salvamento, funcionários do sistema prisional e população privada de liberdade.

Jornal Midiamax