Cotidiano

Independente da atual situação da pandemia, Educação pede escalonamento para julho em Campo Grande

Volta às aulas de forma híbrida nas escolas municipais está prevista para 19 de julho

Mayara Bueno Publicado em 24/05/2021, às 11h38

Secretária de Educação de Campo Grande, Elza Fernandes
Secretária de Educação de Campo Grande, Elza Fernandes - (Foto: Reprodução/Facebook)

Com previsão de retomada de aulas presenciais, com sistema híbrido, para julho, a secretária da Semed (Secretaria Municipal de Educação), Elsa Fernandes, afirmou que a rede está se planejando e tal medida deve ser feita, independentemente do cenário atual da pandemia de coronavírus. Nesta segunda-feira (24), foi promovido novo debate sobre o assunto na Câmara Municipal de Campo Grande.

"Só saberemos os desafios e as dificuldades, na prática. Hoje, estamos nos preparando, nos plenajendo para este retorno. Mas e a segunda dose, e a terceira onda? Se chegar na data, e tivermos condições, vai estar tudo preparado".

Segundo ela, os professores têm demonstrado preocupação quanto ao método híbrido que, em tese, seria com parte dos estudantes na escola e outra em casa, mas assistindo às aulas em tempo real - medida que, atualmente, seria inviável. Portanto, a secretária afirma que a retomada será escalonada, de forma que grupos se revezem entre escola e casa, a cada semana. 

A ideia é que a primeira semana seja dedicada ao acolhimento dos professores e, no período seguinte, os alunos. "Para gente trabalhar uma semana com esses professores, discutir sobre como vão receber os estudantes. Por mais que esteja sendo feita uma formação antes, online, vamos fazer o acolhimento". 

Segundo a secretária, em audiência na Câmara Municipal em 12 de maio, o decreto de suspensão das aulas encerra em 1º de julho, logo em seguida os profissionais entrarão em recesso por duas semanas e a expectativa é que retornem com as aulas de forma híbrida (quando ocorre o revezamento entre aulas presenciais e on-line), no dia 19 de julho.

Jornal Midiamax