Cotidiano

Família faz vaquinha para transportar irmão em coma de SC para MS

Aos 38 anos, Wellington Silva dos Santos sofreu um acidente ao cair em uma pedra na Praia da Sepultura, em Bombinhas, no litoral de Santa Catarina. Ao ser levado para o hospital, ele ficou sem oxigenação no cérebro e, após dois meses internado, a família pede ajuda para transportá-lo de volta para Campo Grande. A […]

Danielle Errobidarte Publicado em 21/02/2021, às 14h06 - Atualizado às 14h34

Wellington se mudou para SC a trabalho há 4 anos. Foto: Leitor Midiamax
Wellington se mudou para SC a trabalho há 4 anos. Foto: Leitor Midiamax - Wellington se mudou para SC a trabalho há 4 anos. Foto: Leitor Midiamax

Aos 38 anos, Wellington Silva dos Santos sofreu um acidente ao cair em uma pedra na Praia da Sepultura, em Bombinhas, no litoral de Santa Catarina. Ao ser levado para o hospital, ele ficou sem oxigenação no cérebro e, após dois meses internado, a família pede ajuda para transportá-lo de volta para Campo Grande. A fim de arrecadar o valor de R$ 20 mil, eles criaram uma vaquinha virtual.

O irmão de Wellington, Weverton Silva dos Santos, 35, explica que ele, a mãe, esposa e as duas filhas de 4 e 6 anos, estão morando em um apartamento alugado em Joinville-SC. “A gente não consegue trabalhar porque precisamos cuidar dele 24h por dia, como se fosse um hospital”, explica.

Há quatro anos, Wellington havia se mudado para Bombinhas a trabalho, após conseguir emprego na concessionária de abastecimento de água da cidade. “No dia do acidente ele já havia sido demitido e estava só com o seguro desemprego. Ele trabalhava em uma pousada durante o dia e à noite fazia entregas”, relata.

O retorno para Campo Grande significa, segundo o irmão, além de um alívio nas despesas, a possibilidade de contar com parentes para os cuidados com Wellington. “Ele se alimenta por sonda, tem que dar banho, cuidar inclusive a noite, dormir com ele no quarto. Em Campo Grande a gente tem casa própria e mais pessoas para ajudarem”, afirma.

Conforme explicado pela família, no dia 25 de outubro do ano passado, Wellington caiu da pedra na água e se afogou. Ele foi resgatado por salva-vidas, mas, ao chegar no Pronto Socorro, sofreu um ataque cardíaco, ficou sem oxigênio no cérebro e permaneceu em coma por um mês no Hospital Ruth Cardoso, em Balneário Camboriú.

A família ainda detalha que o transporte de Wellington de ambulância custa R$ 12 mil e mais R$ 6 mil de frete para sua cama hospitalar, móveis do apartamento e objetos pessoais dele. Os R$ 2 mil restante será usado para compra de medicamentos e fisioterapia. O link da vaquinha pode ser acessado clicando aqui. 

Jornal Midiamax