Cotidiano

Escada Magirus não é necessária no incêndio de tapeçaria na Barão, diz Corpo de Bombeiros

Um jovem de 21 anos está desaparecido

Diego Alves e Fábio Oruê Publicado em 23/11/2021, às 19h45

Parte interna de onde ocorre o incêndio (Foto: Leonardo de França)
Parte interna de onde ocorre o incêndio (Foto: Leonardo de França)

A escada Magirus não será utilizada no combate ao incêndio que ocorre neste momento na tapeçaria localizada no Bairro Amambaí, cruzamento das ruas Barão do Rio Branco e Allan Kardec, em Campo Grande.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, o combate a este incêndio não necessita da escada mecânica, já que o fogo está concentrado na parte térrea. No primeiro andar, de onde sai muita fumaça, não há propagação do fogo, segundo os militares.

A maior dificuldade dos bombeiros neste momento é o acesso à parte térrea para o combate devido a grande quantidade de materiais inflamáveis que existem no local. Por causa deste incêndio de grandes proporções, muitos bombeiros que estavam de folga, foram ao local para ajudar.

No momento em que começou o incêndio, havia um trabalhador realizando trabalho de ipermeabilização no teto. O prédio é dividido por uma parede interna e o incêndio em questão está concentrado no térreo do lado direito.

O trabalhador estava no teto do prédio, no lado esquerdo e conseguiu descer pelo alçapão. Segundo informações da comunicação do Corpo de Bombeiros, uma brincadeira entre funcionário pode ter sido a causa do incêndio que destruiu uma empresa de tapeçaria. A informação é a de que um deles e staria com um isqueiro, porém ainda não há detalhes de como se iniciou as chamas. Um jovem de 21 anos está desaparecido.  Há hipótese de que ele pode ter saído ileso do local, mas ainda não foi localizado.

Jornal Midiamax