Cotidiano

Equipes recompõem asfalto na Ernesto Geisel e trecho deve ser liberado na quarta-feira

Equipes da Sisep (Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Púbicos) iniciaram nesta semana a recomposição do asfalto em trecho da avenida Ernesto Geisel, em Campo Grande. O trecho de 1,2 km da pista bairro-centro estava interditado há seis meses para implantação de um emissário, que é a tubulação por onde passa parte do esgoto coletado […]

Mylena Rocha Publicado em 02/03/2021, às 11h02

(Foto: Divulgação/PMCG)
(Foto: Divulgação/PMCG) - (Foto: Divulgação/PMCG)

Equipes da Sisep (Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Púbicos) iniciaram nesta semana a recomposição do asfalto em trecho da avenida Ernesto Geisel, em Campo Grande. O trecho de 1,2 km da pista bairro-centro estava interditado há seis meses para implantação de um emissário, que é a tubulação por onde passa parte do esgoto coletado em Campo Grande.

A Prefeitura explica que a área de intervenção abrangerá 1.900 metros quadrados, entre as ruas do Touro, perto do Guanandizão, Bonsucesso e Ceres. São dois dias de serviço com o uso de 200 toneladas de capa asfáltica.

O novo emissário foi conectado ao interceptor antigo, que margeia o rio e já está em funcionamento. Nesta fase inicial, o serviço será feito entre as ruas do Aquário e Ouro Verde. A expectativa é de que até quarta-feira (3) a pista esteja liberada para o trânsito. Se a chuva não atrapalhar, a previsão é de que em 10 dias todo o trecho esteja pronto.

Obras no rio Anhanduí

As obras no rio Anhanduí são realizadas para estabilizar as margens do rio com muro de gabião e placas de concreto. Sem as paredes de gabião ou de concreto, quando chove muito na cabeceira dos córregos afluentes, a correnteza aumenta. A água, ao bater no barranco diretamente, derruba o aterro e provoca erosão, colocando em risco as pistas. Segundo informações divulgadas pela Prefeitura, está planejada a construção de mais bocas de lobo nas pistas marginais para aumentar a capacidade de captação da enxurrada.

Também está programada uma ciclovia na margem direita até a ponte de travessia na rua Abolição e na esquerda daí até a ponte na rua do Aquário, além de urbanização e recapeamento das duas pistas da avenida Ernesto Geisel, numa extensão de 1,8 km. A margem direita (sentido centro-bairro) já está “revestida”, protegida da erosão com paredões de gabião com até 9 metros de altura e placas de concreto. As cabeceiras da ponte, para travessia na altura da Rua Bonsucesso, foram refeitas após a construção no canal do rio de gabião embaixo da estrutura.

Jornal Midiamax