Cotidiano

'Enforcada' por corrente há 3 anos, árvore cresce como pode na 7 de Setembro

A árvore se desenvolve com o metal cravado no tronco

Mariane Chianezi e Fábio Oruê Publicado em 22/11/2021, às 13h41

None
Leonardo de França, Midiamax

Uma árvore localizada na Rua Sete de Setembro, na região Central de Campo Grande, tem crescido como pode nos últimos três anos. 'Enforcada' por corrente, a árvore se desenvolve com o metal cravado no tronco.

Conforme Walter Leite, de 65 anos, dono de um escritório próximo ao endereço, há três anos os donos de uma empresa de semijoias, que fica em frente, instalaram uma lixeira que foi amarrada com uma corrente na árvore. O objetivo era que a lixeira não fosse furtada. Após depredações de vândalos, a lixeira foi removida, mas a corrente continuou atrelada à árvore.

Walter disse que já comunicou os empresários, mas até então a corrente não foi retirada. "Eu não tenho alicate ou outro material que dê para retirar", comentou. No Google Mapas, imagem feita em 2019 revela a lixeira ainda presa ao tronco da árvore. A situação chama a atenção de pedestres que passam pela calçada.

O biólogo José Milton Longo disse à reportagem que não há problema em retirar as correntes do tronco. "O que acontece, é que o crescimento englobou essa agressão, se cortar essa corrente não teria problema, muito pelo contrário, ela continuaria tendo o crescimento secundário", disse. Longo explica que a árvore teria, sim, um ponto mais fraco para caso de ventania e uma ocasional queda. "Essa lesão em volta do tronco vai ser um ponto frágil que pode ser rompido. Mas é preciso avaliação", pontuou.

Foto: Google Maps

*Atualizada às 15h30 para acréscimo de informação

Jornal Midiamax