Cotidiano

Em Campo Grande, mais de 4 mil pessoas ‘fugiram’ da 2ª dose contra a Covid-19

Pessoas foram convocadas para segunda aplicação, faltaram e não completaram a imunização

Dândara Genelhú Publicado em 28/04/2021, às 07h12

Grupo representa 6,7% do total de pessoas que deveriam ter tomado a 2ª dose.
Grupo representa 6,7% do total de pessoas que deveriam ter tomado a 2ª dose. - Foto: Reprodução.

Mesmo com a ampla campanha de vacinação e a possibilidade de se imunizar contra a Covid-19, 4.342 pessoas não foram tomar a segunda dose da vacina em Campo Grande. O número é de pessoas que foram convocadas e não compareceram para o reforço da Coronavac. 

Este é o número de pessoas que ‘fugiram’ da segunda dose até as convocações de 20 de abril. Ao Jornal Midiamax, a Prefeitura de Campo Grande afirmou que esta foi a data em que foi suspensa a vacinação do reforço da Coronavac.

Assim como pelo menos outras 21 cidades de Mato Grosso do Sul, Campo Grande sofre com a falta de doses da Coronavac. O atraso do envio feito pelo Ministério da Saúde, fez com que diversas pessoas do grupo de risco para o coronavírus não completassem a imunização no prazo determinado pela bula do imunizante, de 28 dias. 

Então, essas 4,3 mil pessoas que faltaram na aplicação do reforço correspondem a 6,7% do total de segundas doses que deveriam ter sido aplicadas no município até esta terça-feira (27). Lembrando que não são consideradas as pessoas que não receberam a dose por falta do imunizante. 

Doses da Coronavac

Mato Grosso do Sul deve receber nova remessa de Coronavac apenas na primeira quinzena de maio. O Ministério da Saúde publicou nota com a informação. Nesta terça-feira (27), MS já tem 27 cidades sem doses dessa vacina para completar a imunização contra a Covid-19. 

Assim, a Pasta disse que para a garantir a compensação e fechamento do esquema vacinal de grupos prioritários, “a previsão de recebimento de novas remessas de vacinas na primeira quinzena de maio”. Então, a vacinação com a segunda aplicação da Coronavac deve ser adiada por mais alguns dias em algumas cidades de MS. 

Jornal Midiamax