Cotidiano

Dois adolescentes se passam por ‘profissionais de saúde’ e furam fila da vacinação em MS

Dois adolescentes de 17 anos foram vacinados contra o coronavírus de forma irregular em Cassilândia, a 435 quilômetros de Campo Grande. Os dois constavam na lista de funcionários de uma farmácia enviada ao município. Os adolescentes teriam sido colocados em uma lista de funcionários da farmácia para ‘burlar’ a fiscalização e serem vacinados. Conforme o […]

Gabriel Maymone Publicado em 24/03/2021, às 10h39 - Atualizado às 17h22

(Imagem: Ilustrativa)
(Imagem: Ilustrativa) - (Imagem: Ilustrativa)

Dois adolescentes de 17 anos foram vacinados contra o coronavírus de forma irregular em Cassilândia, a 435 quilômetros de Campo Grande. Os dois constavam na lista de funcionários de uma farmácia enviada ao município.

Os adolescentes teriam sido colocados em uma lista de funcionários da farmácia para ‘burlar’ a fiscalização e serem vacinados. Conforme o gestor do Fundo Municipal de Saúde de Cassilândia, José Lourenço Marin, a prefeitura entendeu não haver culpa das vacinadoras, que apenas aplicaram as doses em quem constava na lista.

“Conforme o Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19, a recomendação nesse caso é não aplicar a 2ª dose, orientação que seguimos”, explicou em relação aos adolescentes.

Assim, o caso foi repassado ao MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), que irá conduzir as investigações para apurar a responsabilidade do erro.

Contra indicação

A vacina contra covid aplicada no Brasil são contraindicadas a menores de idades e gestantes, pois não foram testadas nesses grupos.

Então, as vacinas foram testadas em adultos, não em crianças, o que é uma prática para toda vacina nova. A eficácia é feita separadamente em grupos etários, pois  a resposta imunológica não é a mesma.

Jornal Midiamax