Cotidiano

Desde o início de campanha, Corumbá já imunizou 2.188 moradores contra coronavírus

A prefeitura de Corumbá, a 417 quilômetros de Campo Grande, divulgou nesta quarta-feira (3) um balanço de aplicação das doses de imunização contra a Covid-19 em moradores do grupo prioritário. Cerca de 2.188 já foram vacinadas desde o início da campanha de vacinação. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, as doses foram aplicadas em profissionais […]

Karina Campos Publicado em 03/02/2021, às 14h45

Município está na fase de vacinação de idosos acamados. (Foto: Divulgação/PMC)
Município está na fase de vacinação de idosos acamados. (Foto: Divulgação/PMC) - Município está na fase de vacinação de idosos acamados. (Foto: Divulgação/PMC)

A prefeitura de Corumbá, a 417 quilômetros de Campo Grande, divulgou nesta quarta-feira (3) um balanço de aplicação das doses de imunização contra a Covid-19 em moradores do grupo prioritário. Cerca de 2.188 já foram vacinadas desde o início da campanha de vacinação.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, as doses foram aplicadas em profissionais de saúde, indígenas aldeados, idosos acima de 90 anos, seguindo os grupos prioritários elencados pelo Ministério da Saúde. O município já começou a fase de vacinação em idosos acamados com mais de 80.

“Estamos seguindo a risca o Plano Nacional de Vacinação e o que foi pactuado com o Estado, antes de iniciar um novo público temos que finalizar os iniciados. Corumbá tem 1.570 idosos com mais de 80 anos, e recebemos apenas 350 doses para esta fase, por isso priorizamos os acamados, mas conforme enviarem mais vamos ampliar, iniciando pelos de mais idade”, disse o secretário da pasta, Rogério Leite.

Ao todo foram recebidas 4.036 doses, sendo 3.066 da Coronavac, desenvolvida pelo Butantã, que necessita de intervalo entre as doses, de 02 a 04 semanas; e 970 doses da AstraZeneca da Fiocruz em parceria com a Universidade de Oxford, que possuiu 12 semanas de intervalo entre as doses.

“Temos equipes volantes que estão indo em domicílio vacinar os idosos acamados, que já possuem cadastro na rede de saúde, é um procedimento que leva tempo, vamos de casa em casa. Pedimos que a população tenha um pouco de paciência, as doses chegam gradativamente, e conforme a disponibilidade vamos imunizando a população”, explica a Gerente da Vigilância Epidemiológica, Beatriz Assad.

Jornal Midiamax