Cotidiano

Defesa Civil de MS vai a Corguinho avaliar para reconhecer situação de emergência

Equipes da Defesa Civil de Mato Grosso do Sul estarão em Corguinho – a 96 km de Campo Grande, na tarde desta sexta-feira (19), para avaliar os estragos causados pela tempestade que ocorreu na terça-feira (16) e deixou comunidades quilombolas isoladas. Além disso, será feita avaliação para o Estado também decretar situação de emergência no […]

Gabriel Maymone Publicado em 19/02/2021, às 12h03 - Atualizado às 12h26

Estragos causados pela chuva em Corguinho. (Foto: Marcos Ermínio, Midiamax)
Estragos causados pela chuva em Corguinho. (Foto: Marcos Ermínio, Midiamax) - Estragos causados pela chuva em Corguinho. (Foto: Marcos Ermínio, Midiamax)

Equipes da Defesa Civil de Mato Grosso do Sul estarão em Corguinho – a 96 km de Campo Grande, na tarde desta sexta-feira (19), para avaliar os estragos causados pela tempestade que ocorreu na terça-feira (16) e deixou comunidades quilombolas isoladas. Além disso, será feita avaliação para o Estado também decretar situação de emergência no município.

O objetivo da visita é para levantar danos, prejuízos e informações complementares para que a partir do reconhecimento da situação de emergência pelo Estado, o município receba apoio estadual e federal para se recuperar.

Os estragos causados pela chuva fizeram a prefeitura de Corguinho decretar situação de emergência na quinta-feira (18). 

Além de inundar casas e deixar pessoas desabrigadas, a chuva provocou a paralisação de transportes de carga, dificultou o acesso às estradas vicinais, paralisou os serviços de saúde, o acesso ao turismo local e também prejudicou o escoamento de produtos da Agricultura Familiar.

As pontes sobre os córregos Formiga, São Jerônimo e Barreirinho foram destruídas pela forte correnteza conforme parecer preliminar técnico emitido pela Defesa Civil Municipal. Mas segundo a prefeita Marcela Ribeiro Lopes, a última atualização indica um total de 6 pontes destruídas, sendo 4 de madeira e 2 de concreto.

“A situação é crítica. Mas através da prefeitura e parcerias já demos início aos reparos emergenciais para abertura de desvios de modo a garantir o direito de ir e vir dos munícipes. Agora é esperar os procedimentos para receber o apoio do Estado que é o que vai salvar”, afirma.

A descida da agua está em ritmo lento segundo a prefeita, e cerca de 40 pessoas ainda estão isoladas.

Estragos no município

Na mesma edição do Diário Oficial de Corguinho foi publicado um parecer técnico sobre os danos causados pelo desastre natural. Assim, as chuvas intensas resultaram no aumento rápido dos “níveis de diversos rios e córregos, provocando enxurradas e alagamentos, destruição e danificação de ruas, estradas, pontes e tubulações”.

Os danos foram encontrados em propriedades públicas e privadas. Então, três pontes da região foram consideradas destruídas após as chuvas. A ponte sobre o córrego Formiga, a do córrego São Jerônimo e a do córrego Barreirinho foram arrastadas pela correnteza das águas e totalmente danificadas. As três ficaram intransitáveis.

Já a ponte da região do Cruzeirinho registrou apenas o deslocamento, pois as manilhas foram arrastadas pela correnteza do córrego. Por fim, o município considera que diversas ruas e vias periféricas foram afetadas com a chuva forte. Assim, também foram inclusas no relatório de danos do desastre.

Não foi informado quais os valores dos prejuízos individualmente ou balanço total atualizado. Entretanto, na última quarta-feira (16), a prefeita havia afirmado que é estimado danos de R$ 1 milhão em toda a cidade.

Jornal Midiamax