Cotidiano

Decreto proíbe funcionamento de supermercados após 20h em Campo Grande

A Prefeitura de Campo Grande decidiu restringir o horário de funcionamento dos supermercados para até às 20h, a partir de desta segunda-feira (22), no município. Publicação do Diogrande (Diário Oficial de Campo Grande), neste  domingo (21), retirou os estabelecimentos da lista de permissões de funcionamento durante o toque de recolher. Decreto estadual, seguido pelo Executivo […]

Fábio Oruê Publicado em 22/03/2021, às 18h21 - Atualizado em 23/03/2021, às 09h12

Supermercados não poderão abrir após às 20h. (Foto: Minervino Júnior/CB/D.A Press)
Supermercados não poderão abrir após às 20h. (Foto: Minervino Júnior/CB/D.A Press) - Supermercados não poderão abrir após às 20h. (Foto: Minervino Júnior/CB/D.A Press)

A Prefeitura de Campo Grande decidiu restringir o horário de funcionamento dos supermercados para até às 20h, a partir de desta segunda-feira (22), no município. Publicação do Diogrande (Diário Oficial de Campo Grande), neste  domingo (21), retirou os estabelecimentos da lista de permissões de funcionamento durante o toque de recolher.

Decreto estadual, seguido pelo Executivo Municipal, permitia a abertura desses estabelecimentos, exceto conveniências, após às 20h, quando começa o toque.

A Amas (Associação Sul-mato-grossense de Supermercados) emitiu uma nota de repúdio contra a medida. Conforme a nota, a decisão é arbitrária, pois vai contra o Decreto Federal nº 10.282, de 20/03/2020 e o Decreto Estadual n. 15.632, que reconhecem os supermercados como atividade essencial, permitindo que as lojas funcionem de acordo com seus respectivos alvarás de funcionamento, todos os dias da semana, inclusive em feriados.

“A gente não vê sentido algum restringir a população de acesso a alimentação, produtos de primeira necessidade […] Quanto mais restrição para produtos essenciais, maior a aglomeração e mais exposto ‘eu’ vou estar colocando a população”, disse o presidente da Amas, Edmilson Veratti.

Ele explicou que com horário reduzido para fazer as compras, haverá aglomeração de pessoas não somente no fechamento das lojas, mas também durante todo o momento da compra, mesmo havendo controle do fluxo dos clientes, pois o tempo disponível necessário para a compra foi reduzido.

“Entendemos que, quanto mais tempo disponível para realizar a compra, menor será a circulação de pessoas naquele horário”, opinou.

Jornal Midiamax