Cotidiano

Das 38 cidades de MS que estão em consórcio de vacinas, nem metade tem lei que regulamenta compra

Apenas 15 dos 38 municípios de MS que demonstraram interesse no Consórcio de Vacinas, já publicaram lei que regulamenta a ação. 

Dândara Genelhú Publicado em 24/03/2021, às 10h10 - Atualizado às 14h39

Campo Grande. Foto: Arquivo Midiamax.
Campo Grande. Foto: Arquivo Midiamax. - Campo Grande. Foto: Arquivo Midiamax.

No intuito de acelerar a vacinação contra Covid-19, 38 cidades de Mato Grosso do Sul aderiram ao Conectar (Consórcio Nacional de Vacinas das Cidades Brasileiras). No entanto, apenas 15 destes municípios já publicaram lei que regulamenta a ação.

O Consórcio é de iniciativa da FNP (Frente Nacional dos Prefeitos) e possui 2.602 municípios que demonstraram interesse em integrar o grupo. Assim, na última segunda-feira (22), foi divulgada a lista de prefeituras municipais que enviaram a lei que garante a compra independente de vacinas nas cidades.

Atualmente, os municípios vacinam apenas com doses que receberam do Ministério da Saúde. Isto acontece em MS e faz com que as cidades esperem novos lotes de imunizantes para anunciarem e incluírem mais pessoas na vacinação.

Interessados em comprar vacinas direto dos fabricantes, 15 cidades do Estado já regulamentaram a medida em lei. São elas: Campo Grande, Dourados, Três Lagoas, Naviraí, Maracaju, Miranda, Jardim, Costa Rica, Ribas do Rio Pardo, Inocência, Sonora, Selvíria, Vicentina, Rochedo e Jateí.

Então, 23 municípios ainda não oficializaram uma lei para compra independente de vacinas contra o coronavírus. São eles: Corumbá, Sidrolândia, Paranaíba, Coxim, São Gabriel do Oeste, Aparecida do Taboado, Bataguassu, Nova Alvorada do Sul, Cassilândia, Porto Murtinho, Iguatemi, Água Clara, Camapuã, Deodápolis, Tacuru, Anaurilândia, Santa Rita do Pardo, Jaraguari, Caracol, Corguinho, Douradina, Alcinópolis e Figueirão,

Jornal Midiamax