Cotidiano

Concen MS pede à Aneel prorrogação da consulta pública sobre ressarcimento ao consumidor

Dada a complexidade do tema, prazo é importante para melhor avaliação dos impactos ao usuário

Ranziel Oliveira Publicado em 21/07/2021, às 14h05

Pedido foi feito na manhã desta quarta-feira
Pedido foi feito na manhã desta quarta-feira - (Foto: Fernando Frazão / Agência Brasil)

O Concen MS (Conselho de Consumidores da Área de Consumidores da Energisa MS) manifestou-se junto à Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) pela prorrogação da consulta pública 18/2021, que trata do ressarcimento de danos ao consumidor causados por problemas na rede elétrica, na manhã desta quarta-feira (21).

O Concen pede a prorrogação, até 22 de agosto, do prazo da consulta pública, dada a complexidade do tema, em que constam mais de 600 artigos, e os impactos ao consumidor. A manifestação ocorre em consonância com outros conselhos, após ouvirem Procons e Defensorias Públicas de todo o País.

A ideia é propor ajustes que facilitem o dia a dia e tornem mais céleres as negociações. “Não raras vezes recebemos reclamações de consumidores que tentaram ressarcimento de danos junto à concessionária e obtiveram a negativa, sob alegação de que próximo daquele horário não houve perturbação na rede capaz de produzir tal efeito. Acompanhamos vários casos em que o consumidor acaba por ir para o Judiciário para conseguir o ressarcimento desse dano porque não conseguiu resolver administrativamente”, sustentou a presidente do Concen MS, Rosimeire Costa.

Uma vez que o Judiciário aceita o laudo, a saída, explica Rosimeire, é utilizar dos procedimentos previstos no artigo 565 da minuta da norma em discussão. “Vamos propor duas situações: a mudança do verbo de 'pode' para 'deve' e o credenciamento de oficinas de inspeção e reparo”. A proposta é evitar e judicialização, considerando que hoje um processo custa em torno de R$ 3 mil. “Devemos, nesse período de pandemia e no pós-pandemia, evitar esses gastos”.

Jornal Midiamax