Cotidiano

Comparado a 2020, Campo Grande registra queda de 96% em casos de dengue durante janeiro

Comparado ao mês de janeiro de 2020, neste ano, Campo Grande registrou queda de 96% nos casos de dengue durante o mês, conforme o boletim epidemiológico. Por conta das chuvas intensas dos últimos dias, o CCEV (Coordenadoria de Combate a Endemias Vetoriais) pede que moradores continuem limpeza e extermínio de abrigadouros do mosquito Aedes aegypti. […]

Karina Campos Publicado em 01/02/2021, às 17h27

(Foto: Divulgação/PMCG)
(Foto: Divulgação/PMCG) - (Foto: Divulgação/PMCG)

Comparado ao mês de janeiro de 2020, neste ano, Campo Grande registrou queda de 96% nos casos de dengue durante o mês, conforme o boletim epidemiológico. Por conta das chuvas intensas dos últimos dias, o CCEV (Coordenadoria de Combate a Endemias Vetoriais) pede que moradores continuem limpeza e extermínio de abrigadouros do mosquito Aedes aegypti.

Segundo o balanço, durante o mês de janeiro, foram registradas 154 notificações de casos suspeitos de dengue na Capital, enquanto no mesmo período do ano passado foram 3.718 casos registrados da doença.

Em 2020, foram notificados 20.240 casos, porém, a incidência de mosquitos na Capital ainda era alvo de reclamação. “Nós temos percebido um aumento muito grande de reclamações e infestações pelo mosquito Aedes aegypti”, disse o responsável pelo CCEV, Vagner Ricardo.

Um dos motivos segundo o especialista seria uma consequência da falta de cuidados com possíveis locais que servem de criadouros de mosquitos. As chuvas constantes também pioram a situação, uma vez que assim evita-se de sair de dentro de casa, mesmo que ir apenas até o quintal, e a água passa a acumular nos reservatórios.

“Hoje nós vivemos uma situação um tanto quanto particular, temos que lidar com a pandemia da Covid-19 que assola o mundo todo e ainda evitar a transmissão da dengue, que é uma doença endêmica da nossa região”, lembra o secretário municipal de saúde, José Mauro Filho.

Jornal Midiamax