Cotidiano

Demanda inédita faz comércio de Ribas oscilar entre euforia e apreensão

Instalação da indústria de celulose Suzano deve gerar 2,5 mil empregos no comércio da cidade

Lucas Mamédio Publicado em 21/09/2021, às 07h00

Funcionário contratado por Agenor
Funcionário contratado por Agenor - (Foto: Leonardo França)

Logo de manhã, o movimento é intenso na Avenida Áureliano Moura Brandão, em Ribas do Rio Pardo, a 97 quilômetros de Campo Grande. Um dos principais pontos de comércio da cidade, a região passa por uma transformação profunda e corre para se adequar ao aumento da demanda causada pela instalação da megafábrica de celulose Suzano.

Segundo o presidente da Associação Comercial de Ribas, Rodrigo Stefanello Vieira, o comércio em geral já sente o impacto positivo da instalação da fábrica. “Alguns setores como o de hotéis, aluguéis e restaurantes tiveram um crescimento exponencial. Já nos demais, está mais tímido, mas já apresenta um bom crescimento também”.

[Colocar ALT]
Dona Natalícia nunca viu tamanha mudança em quase 40 anos de comércio (Foto: Leonardo França)

A associação ainda não tem dados concretos sobre impacto da transformação recente no setor, mas a projeção de crescimento da população, que será em torno de 33%, gera uma expectativa muito grande. “O que temos de informações é que no pico da obra teremos um canteiro com até 10 mil operários e que a indústria irá gerar diretamente em torno de 2,5 mil empregos no comércio”.

Existe, inclusive, uma parceria com Sebrae, Sesi e Senai para orientar e dar apoio aos comerciantes com treinamentos, cursos e palestras e assim capacitar os empresários e empregados diante da demanda que vem pela frente.

Esperança por dias melhores

Aos 81 anos, dona Natalícia é proprietária de um hotel na Avenida Áureliano há 38 anos. Após um longo período de ostracismo em seu negócio e achando que não iria testemunhar tamanha mudança de paradigma na cidade, a veterana se alegra com os novos ares, mesmo estando prestes a passar o hotel para as filhas.

“Melhorou muito nas últimas semanas o movimento, a gente deu uma adequada, mas  vou esperar para minhas filhas fazerem essas mudanças maiores”.

Outro empresário tradicional da cidade, também com comércio na mesma avenida, é seo Agenor Ferreira leite, de 71 anos, dono de uma oficina mecânica que atende máquinas pesadas.

[Colocar ALT]
Conveniência de Ziquiel e Beto lotada (Foto: Arquivo Pessoal)

O comércio, que possui há várias décadas, nunca viu tanto movimento, com aumento recente de 60% no número de serviços prestados.

“Eu tive que contratar dois funcionários pra me ajudar, no começo cheguei a recusar serviço porque não estava preparado, mas agora já estou me adaptando”.

Essa tem sido a tônica dos comerciantes de Ribas. Muitos tiveram dificuldade nas primeiras semanas, mas logo se adaptaram ao fluxo maior. O segundo passo, segundo eles, é se organizar para o futuro, isso porque em 2022 a cidade deve chegar a seu pico com a obra empregando 10.000 operários.

Talvez um dos maiores exemplos de iniciativa empresarial ligada ao momento de Ribas é da dupla de amigos e sócios Ziquiel de Souza e Beto Coene.

Os dois possuem negócios individualmente e também juntos. A mais recente empreitada foi uma conveniência/bar aberta há três semanas. “No primeiro dia de funcionamento, mesmo com chuva, todas as mesas lotaram. Nos outros dias, já aumentamos a quantidade de mesas e devemos aumentar mais ainda”, explica Ziquiel.

Beto é dono de uma barbearia há quatro anos em Ribas, dentro da barbearia os dois abriram uma loja de roupas juntos há um ano e meio. Além disso, Beto também é proprietário sozinho de uma pousada, que foi totalmente reformada graças ao tectonismo econômico.

“Empregamos em nossos negócios juntos mais de 10 pessoas. Estamos felizes não só pela gente, mas também por poder ajudar outras pessoas de Ribas”, finaliza Ziquiel.

A euforia é tanta no comércio que circula na cidade o boato da abertura da loja Riachuelo, uma das maiores lojas de departamento do Brasil. Contudo, parece ser só boato mesmo, pois nenhuma instituição ligada ao setor e até mesmo a Prefeitura confirmaram a informação.

Capacitação

A empresa Suzano diz que estabeleceu um acordo com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), cujo resultado é o oferecimento à comunidade de cursos de qualificação profissional nas áreas florestal e industrial. No início de agosto, 250 vagas para o curso de qualificação na área florestal foram abertas em Ribas, com oferta de bolsa-auxílio no valor de R$ 350, alimentação e certificado de formação profissional. Já em setembro, a Suzano anunciou a abertura de 220 novas vagas para cursos de qualificação na área industrial. Os aprovados na seleção vão receber bolsa no valor de R$ 1,5 mil por mês, alimentação e alojamento (se o aprovado não for da cidade). Em ambos os cursos, cerca de 50% dos formandos serão contratados para atuar nas operações da nova fábrica.

Jornal Midiamax