Cotidiano

Com viagens de Ano Novo, agência reguladora reforça dicas para evitar transtornos

Desde o início de dezembro, intensificaram-se casos em MS em que passageiros foram deixados na mão por companhias

Lucas Mamédio Publicado em 27/12/2021, às 13h47

None
(Foto: Leonardo de França)

A partir desta segunda-feira (27) começa um novo ciclo de pessoas que pegam ônibus para curtir a virada do ano em outras cidades e, desde o início de dezembro, intensificaram-se casos em Mato Grosso do Sul em que passageiros foram deixados na mão por companhias que tinham algum tipo de irregularidade junto agência reguladora, a Agems (Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Mato Grosso do Sul ).

Por isso a entidade vem reforçando dicas para evitar transtornos e ter um fim de ano traquilo.

Passagem
Só adquira o bilhete em pontos oficiais de venda e só com empresas cadastradas. Para quem escolhe as grandes transportadoras, que têm ponto de saída nos terminais, essa situação não costuma ser problema, mas muitos passageiros optam por viajar de vans e micro-ônibus. Isso pode ser feito, desde que o transportador seja um dos autônomos autorizados pela AGEMS. Essas empresas também têm pontos de embarque e desembarque e horários estabelecidos pela Agência. Da mesma forma que nas empresas maiores, eles precisam emitir um bilhete, e estar com o cadastro e vistoria do veículo em dia.

Gratuidade
Empresas e transportadores autônomos têm que oferecer as gratuidades garantidas na legislação: Nos ônibus, 2 poltronas grátis para idoso; 2 poltronas grátis para pessoa com deficiência; e 2 poltronas com 50% de desconto para idosos, caso as vagas gratuitas já estejam ocupadas. Nos micro-ônibus (incluindo vans), 1 poltrona grátis e 1 com 50% de desconto para idoso e 1 poltrona grátis para pessoa com deficiência.

Clandestino
Nunca viaje com um transportador clandestino. O passageiro pode pedir ao motorista para verificar os documentos que atestam que ele é um autônomo cadastrado e regularizado. Caso contrário, a viagem não tem qualquer garantia, além de ser um risco para a segurança.

Embarque
Embarcou? Afivele o cinto de segurança. Muitos passageiros não têm no transporte de ônibus o mesmo cuidado que têm nas viagens de automóvel. Mas o risco de ferimentos ou até de morte em acidente com vans e ônibus é o mesmo que nos carros de passeio. O veículo tem que estar com o cinto em boas condições e visivelmente colocado sobre a poltrona. Além disso, a AGEMS determina que o motorista ou outro representante da empresa faça uma orientação verbal antes da saída, lembrando os passageiros de utilizarem o equipamento.

Trajeto
Nas linhas com distância maior, todos os passageiros devem estar sentados. Se uma empresa vender passagem acima da capacidade e sugerir que o passageiro vá em pé em determinado trecho, não aceite, denuncie. No site da AGEMS, o sistema Pesquisa de Viagem informa todas as empresas que fazem uma determinada linha, com horários e tarifas. Basta escolher a origem e o destino, que o passageiro verá as opções.

Turismo
Para viajar com uma empresa de fretamento turístico, o passageiro também conta com transportadores credenciados pela Agência Reguladora. Neste caso, a empresa não pode vender bilhete avulso, porque o serviço é um pacote fechado para um grupo. Para confirmar se a empresa está regular, basta exigir que o transportador apresente a Licença de Viagem Eventual/Turística, que é emitida por um sistema informatizado da Agência. No site da AGEMS, é possível encontrar a lista completa das empresas de fretamento.

Irregularidades? denuncie!
A Agência Reguladora dispõe de uma Ouvidoria moderna e dinâmica. Para prestar informações, tirar dúvidas e receber reclamações dos usuários em qualquer problema, o passageiro pode ligar gratuitamente para o telefone 0800 600 0506. Também pode entrar em contato pelo e-mail ouvidoria@www.agems.ms.gov.br, ou acessar o site da AGEMSe preencher o formulário de reclamação.

Jornal Midiamax