Cotidiano

Com vacinação em massa, cidades na fronteira de MS têm queda de 79% nas mortes por covid

Uma nova parcial do estudo na fronteira foi divulgada pela SES

Mylena Rocha Publicado em 17/08/2021, às 12h43

Ao todo, 13 cidades na fronteira foram contempladas com a vacinação em massa.
Ao todo, 13 cidades na fronteira foram contempladas com a vacinação em massa. - Divulgação/Julio Croda/Fiocruz

Depois de um mês e meio do início do estudo de vacinação em massa, as cidades na fronteira de Mato Grosso do Sul apresentaram uma queda de 75,5% nos casos novos de coronavírus. Com relação às mortes, os resultados são ainda mais expressivos: queda de 79% nos óbitos por Covid-19. Os dados foram divulgados pela SES (Secretaria de Estado de Saúde) em uma nova parcial do estudo. 

A vacinação em massa foi realizada nos 13 municípios que compõem a fronteira do Estado. As cidades receberam estoque da vacina Janssen, de dose única, suficiente para imunizar toda a população adulta. Ao todo, 94.215 pessoas da região de fronteira foram imunizadas.

Conforme levantamento, os 13 municípios de fronteira apresentaram, neste período, redução de 75,5% nos casos confirmados. Além disso, houve redução de 69% nas hospitalizações e 79,2% em relação aos óbitos.

Já nos demais municípios do Estado, que não receberam a vacinação em massa, houve redução de 35% nos novos casos de Covid, redução de 43,8% nas hospitalizações e 70,02% nos óbitos por Covid-19.

O titular da SES, Geraldo Resende, destaca que os números reforçam a importância da vacinação em massa. “A redução expressiva dos casos e óbitos mostra que estávamos certos em realizar a vacinação em massa na fronteira e trouxe benefícios para todo Mato Grosso do Sul”, completou.

O infectologista da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) Julio Croda, que coordena o estudo, explicou que analisando os dados da população entre 18 e 39 anos se detectou a redução de 74,1% nas internações. “A queda de casos e hospitalização foi o dobro nessa faixa etária comparando os municípios de fronteiras versus os outros municípios”, pontuou. 

Estudo na fronteira

A vacina americana da Janssen é de aplicação única e foi utilizada para estudo epidemiológico conduzido pelo médico infectologista e pesquisador da Fiocruz, Julio Croda. O estudo foi conduzido pelo infectologista através do grupo VEBRA COVID-19 (Vaccine Effectiveness in Brazil Against COVID-19). Os municípios que fizeram parte do estudo de vacinação em massa são: Mundo Novo, Japorã, Sete Quedas, Paranhos, Coronel Sapucaia, Aral Moreira, Ponta Porã, Antônio João, Bela Vista, Caracol, Porto Murtinho, Corumbá e Ladário.

Todos, acima de 18 anos, que ainda não tinham sido vacinados com outros imunizantes tiveram a oportunidade de receber a dose da Janssen. Os pesquisadores monitoram o impacto da vacina em relação à imunidade coletiva. Também será monitorada a incidência da doença em crianças, que ainda não podem receber vacina.

Jornal Midiamax