Cotidiano

Com previsão de mais chuva, prefeitura de Corumbá pede apoio das Forças Armadas

Com previsão de mais chuvas para esta quarta-feira (13), a prefeitura de Corumbá, a 417 quilômetros de Campo Grande, acionou o apoio das forças armadas. A Defesa Civil ainda levanta os prejuízos causados pelo temporal que atingiu o município. Em nota, a prefeitura informou que as famílias que tiveram a casa invadida pela enxurrada estão […]

Karina Campos Publicado em 13/01/2021, às 16h24 - Atualizado às 18h19

Idosos estavam ilhados em casa. (Foto: Corpo de Bombeiros de Corumbá)
Idosos estavam ilhados em casa. (Foto: Corpo de Bombeiros de Corumbá) - Idosos estavam ilhados em casa. (Foto: Corpo de Bombeiros de Corumbá)

Com previsão de mais chuvas para esta quarta-feira (13), a prefeitura de Corumbá, a 417 quilômetros de Campo Grande, acionou o apoio das forças armadas. A Defesa Civil ainda levanta os prejuízos causados pelo temporal que atingiu o município.

Em nota, a prefeitura informou que as famílias que tiveram a casa invadida pela enxurrada estão sendo atendidas na Escola Municipal José de Souza Damy, no bairro Cristo Redentor. Caso seja necessário, om poliesportivo da cidade deve abrigar os moradores.

Ainda segundo a administração, a construção da macrodrenagem no bairro está sendo feita desde o ano passado para evitar os danos das chuvas fortes no Cristo Redentor e do Cravo Vermelho I, II, e II.

Com previsão de mais chuva, prefeitura de Corumbá pede apoio das Forças Armadas
Famílias estão sendo atendidas em escola do município. (Foto: Prefeitura de Corumbá)

“É um serviço complexo, demorado, que envolve explosão de rochas, rebaixamento de minadouros e outros serviços complementares. São obras muito grandes, mas que resolvem a situação, como já foi feito no bairro Aeroporto, na região do conjunto Tiradentes, e no bairro Padre Ernesto Sassida”, disse o prefeito Marcelo Iunes.

Momento de desespero

Alguns moradores relatam momentos de desespero durante a enchente. Rodrigo de Lima Soares, morador na Rua José Maciel de Barros, no Cristo Redentor, contou que a água da chuva tomou rapidamente a casa onde ele mora com a mulher e três filhos. “Perdi tudo, de repente a água começou a entrar e minha casa foi toda invadida pela água”, relata.

Jornal Midiamax