Cotidiano

Com 80% de ocupação, Campo Grande tem 74 vagas de UTI Covid-19 disponíveis

Índice é um dos mais baixos registrados nos últimos dois meses na Capital

Dândara Genelhú Publicado em 10/05/2021, às 16h48

Na semana anterior, Campo Grande tinha a maior taxa de superlotação do país.
Na semana anterior, Campo Grande tinha a maior taxa de superlotação do país. - Foto: Reprodução.

Nesta segunda-feira (10), Campo Grande baixou a taxa de ocupação das UTIs (Unidades de Terapia Intensiva) para Covid-19. São 80,93% de ocupação, que deixam 74 vagas disponíveis para novas internações.

Na última sexta-feira (7), Mato Grosso do Sul ampliou os leitos para tratamento exclusivo da Covid-19. Assim, o reflexo são os índices baixarem no Estado. O mesmo aconteceu em Campo Grande.

São 388 leitos de UTI existentes para a Capital atender campo-grandenses e munícipes de outras cidades que precisam de amparo. Os dados são do Painel Mais Saúde, com atualização das 16h30, feita pela SES (Secretaria de Estado de Saúde).

Além das UTIs, Campo Grande possui leitos clínicos exclusivos para tratar a Covid-19. Assim, 329 pessoas estão internadas neles e deixam a ocupação em 79,28%. Então, com 415 existentes, sobram 86 vagas para novas hospitalizações de casos graves da doença.

Na última semana epidemiológica, Campo Grande era a capital brasileira com maior índice de ocupação e superlotação das UTIs Covid-19. O estudo foi publicado nesta segunda-feira (10), pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz). Eram 106% de lotação entre 26 de abril e 3 de maio.

Jornal Midiamax