Cotidiano

Campo Grande tem 5 mil crianças vivendo em 26 favelas, aponta Cufa

Próximo do Dias das Crianças, Central Única das Favelas está se mobilizando para atender as crianças que moram nas favelas

Lucas Mamédio Publicado em 05/10/2021, às 13h25

None
(Foto: Divulgação)
Um levantamento realizado pela Cufa (Central Única das Favelas) revelou que, em Campo Grande, aproximadamente 5 mil crianças moram em 26 favelas.
Apesar da ansiedade pelo Dia das Crianças já que é tradição associar a data com presentes, como brinquedos, o levantamento da Cufa também diagnosticou outra necessidade dessas crianças além do carrinho e da boneca: atenção.
Em depoimento à equipe da Cufa, a moradora da comunidade Lagoa, Débora da Silva Dias, mãe de duas crianças, sendo uma de 13 anos e a outra de 1 mês, disse que além de todas as dificuldades enfrentadas na favela, a pandemia revelou mais uma: a falta de espaços públicos seguros e educativos para os seus filhos e demais crianças da periferia.
“Passei toda a pandemia dependendo de doações e, além da preocupação de não saber se as minhas crianças teriam o que comer, também tive que lidar com o ensino remoto, ou seja, com o meu filho mais velho em casa. Após as atividades educacionais, o que sobrava era o ócio já que por aqui não há pracinhas, parquinhos ou qualquer espaço público preparado para receber crianças. Na favela, é ainda mais ruim, e até mesmo perigoso, você deixar uma criança sem ocupação”, desabafa.
Segundo a psicóloga da Cufa, Tatiana Samper, a necessidade apontada por Débora é a da maioria das mães moradoras das favelas.
“Quando a pergunta é o que essas mulheres gostariam que mudasse no bairro onde elas moram, a resposta é a mesma: parquinhos ou uma pracinha para que elas possam levar as crianças em segurança. Isso evidencia que os espaços públicos de hoje não são pensados para as mulheres e para as crianças, ou mesmo não existem. É extremamente importante a existência desses espaços nas comunidades, pois eles criam sentimento de pertencimento e fortalecem os laços entre os moradores”, pontua.
Ação
E para atender essa necessidade, a coordenadora da Cufa Campo Grande, Letícia Polidorio, realizará no dia 16 de outubro (sábado) a ação BRINCANTE na favela “Alfhavela”, localizada no Jardim Caiobá, das 8h às 12h.
“O brinquedo é essencial para as crianças, nós temos consciência disso, porém, observamos no ano passado, com a ação de entrega de brinquedos, que as crianças gostaram muito mais das atividades, brincadeiras, rodas e músicas que fizemos. Isso tem tudo a ver com o momento em que elas estão vivendo, mais de um ano sem escola, a falta de contato, o excesso de televisão. Além disso, são muitas crianças. Então, estamos recebendo brinquedos, mas a ação da Cufa este ano é promover as brincadeiras com atrações infantis para que as crianças da favela sintam que a infância delas está sendo respeitada, para que elas sejam amadas e dignas”, afirma.
Para quem deseja colaborar com a Ação BRINCANTE da Cufa, entre em contato com a organização. O telefone é: (67) 99181-8142.
Jornal Midiamax