Cotidiano

Campo Grande já tem 2 mil denúncias de focos de dengue; foram 5,9 mil em todo 2020

Em menos de dois meses, em 2021, Campo Grande já registrou mais de 2 mil denúncias de focos de mosquitos transmissores da dengue, zika e chikungunya. O número é equivalente a 1/3 das denúncias realizadas em todo o ano de 2020. De acordo com a prefeitura da capital, em 2020 foram realizadas 5.901 denúncias de […]

Gabriel Neves Publicado em 20/02/2021, às 10h06 - Atualizado em 21/02/2021, às 07h35

Imagem ilustrativa. (Foto: Divulgação/SES)
Imagem ilustrativa. (Foto: Divulgação/SES) - Imagem ilustrativa. (Foto: Divulgação/SES)

Em menos de dois meses, em 2021, Campo Grande já registrou mais de 2 mil denúncias de focos de mosquitos transmissores da dengue, zika e chikungunya. O número é equivalente a 1/3 das denúncias realizadas em todo o ano de 2020.

De acordo com a prefeitura da capital, em 2020 foram realizadas 5.901 denúncias de locais com possíveis focos de mosquitos Aedes Aegypti. Apesar do número de denúncias, foram emitidos 94 autos de infração contra proprietários de locais com ‘criadouros’ do mosquito.

Em 2021, o número de denúncias já equivale a 1/3 de todas as realizadas nos 12 meses de 2020. Somente em janeiro e fevereiro a prefeitura já recebeu mais de 2 mil denúncias de locais propícios para a proliferação do mosquito Aedes aegypti.

Cerca de 60% dessas demandas foram verificadas, a prefeitura alega que a grande maioria se tratam de imóveis desabitados, como residência, comércio e terreno baldio. Essas demandas foram encaminhadas e solucionadas após notificação da Coordenadoria de Controle de Endemias Vetoriais.

Mesmo com as mais de 2 mil notificações em 2021, foram lavrados três autos de infração. Essas pessoas podem receber multas que variam de R$100 a R$15 mil conforme o código sanitário municipal.

A prefeitura explica que o baixo número de autos lavrados em relação as denúncias recebidas é porque os autos são espedidos, normalmente, durante ações de maiores proporções, fora da rotina, em locais que já são de conhecimento dos agentes por serem focos do mosquito e que os responsáveis não realizam a manutenção adequada, ou em caso de denúncias, e quando feita a vistoria para averiguação da reclamação nota-se um risco crítico à saúde da comunidade ao redor do local.

Em nota, a prefeitura explica que qualquer pessoa pode realizar a denúncia de locais propensos a proliferação do mosquito transmissor da dengue, através dos números (67 2020-2074) ou WhatsApp (67- 99230-2359). Os contatos fazem parte do disque-dengue onde é possível formalizar esse tipo de denúncias para que haja o seu devido encaminhamento.

Jornal Midiamax