Cotidiano

Campanha já vacinou 44 mil pessoas contra o coronavírus e Governo lançará ‘vacinômetro’

A campanha de imunização contra o coronavírus já vacinou 44.152 pessoas em Mato Grosso do Sul. Os dados foram divulgados pela SES (Secretaria de Estado de Saúde) e apontam que entre os imunizados, 24.409 são profissionais de saúde, 18.058 são indígenas, 1.533 idosos institucionalizados e 152 pessoas com deficiência em residências inclusivas. Na segunda-feira (1), […]

Mylena Rocha Publicado em 30/01/2021, às 10h28 - Atualizado às 13h11

(Foto: Henrique Arakaki, Midiamax)
(Foto: Henrique Arakaki, Midiamax) - (Foto: Henrique Arakaki, Midiamax)

A campanha de imunização contra o coronavírus já vacinou 44.152 pessoas em Mato Grosso do Sul. Os dados foram divulgados pela SES (Secretaria de Estado de Saúde) e apontam que entre os imunizados, 24.409 são profissionais de saúde, 18.058 são indígenas, 1.533 idosos institucionalizados e 152 pessoas com deficiência em residências inclusivas.

Na segunda-feira (1), o Governo do Estado irá lançar o ‘vacinômetro’, com informações detalhadas sobre a vacinação contra a Covid-19 nos municípios. Porém, a plataforma não trará nomes dos pacientes imunizados. 

Os municípios com mais pessoas vacinadas são Campo Grande com 8.796 doses aplicadas, Dourados com 3.623 pessoas, Amambai com 2.467, Aquidauana com 2.209, Três Lagoas com 1.613, Caarapó com 1.581, Sidrolândia com 1.366, Dois Irmãos do Buriti com 1.338 e Corumbá com 1.335, informou a SES.

Até então, foram distribuídas 190,9 mil doses de vacina em Mato Grosso do Sul. O primeiro lote recebido no Estado foi com 158,7 mil doses da vacina Coronavac, no dia 18 de janeiro. O segundo lote chegou ao Estado em 24 de janeiro com 22 mil doses da vacina AstraZeneca/Oxford. O terceiro lote chegou ao Estado em 25 de janeiro com 10,2 mil doses da vacina Coronavac produzida no Brasil.

Os municípios estão nessa primeira fase imunizando os idosos com mais de 60 anos que moram em instituições como casas de repouso, pessoas com deficiência em residências inclusivas, além de indígenas e trabalhadores da área da saúde que estão na linha de frente contra a pandemia de Covid-19. Os idosos acima de 80 anos foram incluídos no público prioritário da primeira fase desde 29 de janeiro.

Jornal Midiamax