Cotidiano

Anvisa julga liberação que pode garantir 2 milhões de doses da Sputnik para MS

Estado espera que as vacinas sejam recebidas até o final de junho

Gabriel Neves Publicado em 26/04/2021, às 07h59

A votação deverá ocorrer no inicio da noite de hoje.
A votação deverá ocorrer no inicio da noite de hoje. - (Foto: Reprodução/Agência Brasil)

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) marcou para esta segunda-feira (26), uma Reunião Extraordinária da Diretoria Colegiada para apreciar os pedidos de importação da Sputnik V. Caso aprovado, Mato Grosso do Sul deve receber 2 milhões de doses do imunizante.

"A data da reunião foi marcada em razão do prazo de 30 dias definido pela Lei, e confirmado pelo STF, para que a Anvisa avalie os pedidos de importação de vacinas para covid sem registro", explicou a agência, as informações são da revista Exame.

O ministro Ricardo Lewandowski, do STF (Supremo Tribunal Federal), já concedeu liminar a diversos estados para determinar que a Anvisa decidisse em até 30 dias sobre uma autorização excepcional para importação da vacina russa sob pena de liberar seu uso.

Conforme já noticiado pelo Jornal Midiamax, após a aprovação, a expectativa é que o imunizante russo chegue no Estado ainda no 1º semestre deste ano. A assinatura do pedido de compra foi feita com o com o Fundo Russo de Investimento Diretopelo Consórcio Brasil Central formado por 7 estados.

Conforme o secretário estadual de saúde, Geraldo Resende, a expectativa é acelerar a imunização na população de MS. "É uma possibilidade real a partir da aprovação da Anvisa, desde que possamos usá-la nos nossos [e não incorporar ao PNI para ser distribuído aos estados]", declarou.

Assim, a expectativa é de que os imunizantes estejam disponíveis até o fim de junho e, segundo o secretário, devem ser utilizados para acelerar a imunização nos grupos prioritários em MS. "Estamos na procura incessante e não vamos parar enquanto não tivermos vacinado 80% da população do Estado", afirmou.

Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Tocantins, Maranhão e Rondônia participam do grupo.

Jornal Midiamax