Cotidiano

Atenção motoristas: Rui Barbosa começa a ser recapeada na altura da UFMS

Rua será recapeada desde as proximidades do viaduto da UFMS até o trecho final

Fábio Oruê Publicado em 08/12/2021, às 15h46

None
Foto: Divulgação/ PMCG

Recapeamento do trecho sul da Rui Barbosa, região da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), começou nesta quarta-feira (8), em Campo Grande. Naquela área a via tem a denominação de Rua Trindade.

De acordo com a prefeitura, nesta etapa, o serviço será feito até a Avenida Fábio Zaharan (antiga Avenida Noroeste). Já foi feita a recomposição dos trechos remendados e aplicada nova capa asfáltica nas alças de acessos ao viaduto da UFMS e Avenida Gury Marques.

As obras , que integram o Reviva Mais Campo Grande, estão previstas no lote 2 do projeto de revitalização da Rui Barbosa, trecho de 4,3 km que se estende até a Avenida Fernando Corrêa da Costa. Até agora foram executados 760 metros da drenagem programada, o que corresponde a 46% dos 1.637 do lote. Está em implantação a drenagem prevista para a quadra da Fernando Corrêa até a Rua dos Aeroviários.

Balanço das obras

A revitalização da Rui Barbosa abrangerá os 7,3 km de extensão deste que é um dos principais corredores do transporte coletivo da cidade. Já está pronta a drenagem (2,4 km) e estão feitos 715 metros de recapeamento (da Mato Grosso até a Rua Pernambuco). O serviço será retomado no início de 2022, entre a Cândido Mariano e Mato Grosso, quando a concessionária substituir a rede de água de cimento amianto por tubulação de PVC.

Na região do Pronto Socorro foi implantada uma tubulação pela Travessa Pepe Simioli (a partir da Pedro Celestino), e se conectou com a drenagem da Avenida Mato Grosso, para a enxurrada desaguar no Córrego Segredo.

O primeiro ramal da tubulação vai captar e escoar até o Córrego Prosa a enxurrada da parte alta das transversais, desde a Rua Barão do Rio Branco, passando pela Avenida Afonso Pena e ruas 15 de Novembro, 7 de Setembro, Joaquim Murtinho e Barão de Melgaço.

A partir da Cândido Mariano foi implantada uma tubulação para escoamento da enxurrada até o Córrego Maracaju, canalizado sob a pista da rua do mesmo nome .

De acordo com o superintendente de Obras da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos, Franscisco Martinez, a drenagem implantada no trecho inicial da Rui Barbosa, perto da Avenida Rachid Neder, vai retardar a chegada da enxurrada no Córrego Cascudo, canalizado sob a Rachid Neder, que desemboca no Segredo, provocando o transbordamento na altura da rotatória com a Avenida Ernesto Geisel.

“É um primeiro passo para resolver o problema. Já está no planejamento deste ano a drenagem na Rua Alegrete (transversal à Rui Barbosa) que também pressiona a vazão no Cascudo", disse. 

A obra na Rui Barbosa

A via é um dos principais eixos viários do transporte coletivo da Capital, por onde circulam 53 linhas do transporte coletivo. Serão feitos 7,1 km de recapeamento e mais de 4 km de drenagem. A intervenção será desde as proximidades do viaduto da Universidade Federal até o trecho final, quando se encontra com a Avenida Rachid Neder.

A rua receberá um corredor do transporte coletivo no trecho entre a Rua Chile e a Avenida Mato Grosso, com 5 estações de embarque e desembarque.

No trecho mais central, a partir do cruzamento com a Avenida Afonso Pena, a Rui Barbosa receberá mobiliário urbano semelhante ao da 14 de Julho, com câmeras de monitoramento, padronização das calçadas e Wi-fi gratuito. O corredor de ônibus da Rui Barbosa vai se conectar com o Terminal Morenão pelas ruas Chile e Quintino Bocaiúva, que serão recapeadas.

Jornal Midiamax