Cotidiano

Alunos de autoescola que fechou serão encaminhados para outros CFCs

O Sindcfc-MS (Sindicato dos Centros de Formação de Condutores de Mato Grosso do Sul) vai buscar meios de realocar em outras empresas os alunos prejudicados com o fechamento da Autoescola Excelência, localizada no centro de Campo Grande e que encerrou atividades recentemente após bloqueio administrativo do Detran (Departamento Estadual de Trânsito). Em encontro com o […]

Renan Nucci Publicado em 04/03/2021, às 15h48

Fiscais do Procon durante vistoria em autoescola. Foto: Divulgação/Procon-MS
Fiscais do Procon durante vistoria em autoescola. Foto: Divulgação/Procon-MS - Fiscais do Procon durante vistoria em autoescola. Foto: Divulgação/Procon-MS

O Sindcfc-MS (Sindicato dos Centros de Formação de Condutores de Mato Grosso do Sul) vai buscar meios de realocar em outras empresas os alunos prejudicados com o fechamento da Autoescola Excelência, localizada no centro de Campo Grande e que encerrou atividades recentemente após bloqueio administrativo do Detran (Departamento Estadual de Trânsito).

Em encontro com o Procon (Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor de Mato Grosso do Sul), o presidente do sindicato, Henrique José Fernandes, disse que vai procurar distribuir em diversos outros estabelecimentos todos aqueles que foram lesados, cobrando preços reduzidos, como forma de  minimizar os prejuízos que não são poucos.

Para tanto, os alunos deverão procurar a sede do sindicato, que fica na 26 de Agosto, número 83, ao lado do Colégio Mace. É preciso levar documentação que comprove o vínculo comercial e os pagamentos. No entanto, por conta de restrições impostas pela pandemia do coronavírus (Covid-19), é preciso agendar pelo telefone 67 3382 4835 no período das 07h30 às 17 horas, de segunda a sexta-feira.

Fechamento da autoescola

A Autoescola Excelência foi proibida de contratar novos alunos, após receber uma segunda notificação do Procon no dia 19 de fevereiro. De acordo com o órgão, o local já havia sido autuado 15 dias antes e foi novamente notificado naquele, após diversas denúncias de clientes. 

Na nova visita, foi constatado que o centro de formação não praticava a comunicação essencial, demorava na prestação de serviços previamente pagos e acordados, tinha vantagem manifestamente excessiva, praticava precificação imprecisa e publicidade enganosa.

A autoescola encerrou as atividades na semana passada depois de sofrer bloqueio administrativo do Detran-MS. A empresa tinha cerca de 1,3 mil alunos. Na sexta-feira (26), após a notificação do Detran, a autoescola emitiu comunicado aos clientes. 

Na reunião que ocorreu na última terça-feira (02), Henrique disse ao presidente do Procon, Marcelo Salomão que o número de alunos da empresa era incompatível com a  estrutura oferecida, uma vez que tinha apenas três veículos para atendimento dos consumidores.

De acordo com o que foi relatado por Henrique, um dos grandes problemas apresentados por vários centros está na existência de instrutores “agregados”, ou seja, que trabalham mediante acordo sem ter vínculo com a unidade de treinamento e ensino.

Jornal Midiamax