Cotidiano

VÍDEO: com saudade da escola, professora relembra brincadeira com aluna especial

A pandemia de coronavírus separou professores e alunos das salas de aula, e consequentemente das atividades de aprendizagem. Uma professora da rede municipal de Campo Grande relembrou nas redes sociais um vídeo em que brinca de corrida do saco, com uma aluna especial na cadeira de rodas. Joyce Garcia conta sempre teve vontade de atuar […]

Karina Campos Publicado em 13/06/2020, às 08h39 - Atualizado às 20h22

(Foto: Reprodução)
(Foto: Reprodução) - (Foto: Reprodução)

A pandemia de coronavírus separou professores e alunos das salas de aula, e consequentemente das atividades de aprendizagem. Uma professora da rede municipal de Campo Grande relembrou nas redes sociais um vídeo em que brinca de corrida do saco, com uma aluna especial na cadeira de rodas.

Joyce Garcia conta sempre teve vontade de atuar na educação especial pela luta da inclusão social de crianças com alguma deficiência física ou intelectual. Quando encontrou Ana Karolina, a sintonia entre as duas aconteceu a primeira vista.

VÍDEO: com saudade da escola, professora relembra brincadeira com aluna especial
Professora e aluna durante aprendizagem. (Foto: Arquivo Pessoal)

“Nós temos um período de adaptação com o aluno, mas tive uma experiência excelente com ela. Ela adora sertanejo, então a gente fazia uma troca no começo, se ela fizesse a atividade, eu colocava a música que ela mais gostava. O dia dessa festa foi maravilhoso, porque ela adora participar das atividades. Euforia é pouco, a gente vê a alegria no olhar. Ela é dedicada, sempre colabora com todas as tarefas propostas”, disse.

Ainda segundo a docente, a participação entre os colegas de classe foi mútua. No vídeo, é possível notar que os amigos de Ana torcem e festejam junto com ela durante a brincadeira. A rede municipal opta por realizar rodízio de professores contratados durante o ano letivo e em 2018, ela e a aluna precisaram se distanciar, porém, continuam amigas.

“Os alunos aceitaram ela super bem e incluíam ela em tudo, chegando até disputar para fazer atividade junto com ela. Sinto falta dela sim, devido essa pandemia não temos contato, ainda mais porque estou lecionando em outra escola”.

A mãe de Ana, Danila Alfredo dos Santos Lima, conta que durante este período de alunas presenciais suspensas, a filha acaba ficando entendiada, pois era acostumada com a rotina de ver e brincar com os amigos, participar das conversar e passeios com a família.

“A Ana sempre está feliz. Ela gosta de estar no meio dos colegas de escola, ficar em casa sem sair meses tem sido complicado. Ela tem sentido falta, porque ela ama estar com as crianças e é bem aceita por eles, suas professoras são de um carinho enorme, todas tem muita paciência compreensão com suas dificuldades devido às suas múltiplas deficiências”, conta.

Em isolamento, a família tem desenvolvido atividades em casa, pois Ana tem atraso acentuado para a idade, então as atividades conforme sua idade mental. “Tanto a professora de apoio quanto a professora da sala de recurso, tem se desdobrado para elaborar atividades que atendem suas necessidades de aprendizado, como estimulando nas pequenas atividades do dia a dia, como identificar formas e ouvir o que mais gosta que é música”, finaliza.

Veja o vídeo:

Jornal Midiamax